Objetivos de Desenvolvimento Sustentável para as Ciências Naturais

© UNESCO

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável representa um importante avanço no reconhecimento da contribuição da ciência, da tecnologia e da inovação (CTI) para o desenvolvimento sustentável. Diante da implementação dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030,  reconhece-se a importância do investimento no desenvolvimento científico e tecnológico.  A UNESCO é parte da Força Tarefa das Nações Unidas que lidera o Mecanismo Global de Facilitação de Tecnologia, lançado em 26 de setembro de 2015 para apoiar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) por meio da ampliação de cooperação internacional e regional Norte-Sul, Sul-Sul ou mesmo da cooperação triangular. Além disso, essa iniciativa estimula o acesso a ciência, tecnologia e inovação, bem como a expansão do compartilhamento de conhecimento em termos acordados mutuamente.

Em seus mais de 70 anos de história, a UNESCO tem sido uma grande facilitadora dessas modalidades de cooperação por meio de redes de trabalho (networks) e centros, especialmente o Centro Internacional Abdus Salam para Física Teórica (Abdus Salam International Centre for Theoretical Physics – ICTP) e a Academia Mundial de Ciências (World Academy of Sciences), que têm sido uma força propulsora para o avanço da expertise científica no desenvolvimento mundial e na resposta às necessidades de jovens cientistas em países com defasagem nas áreas de ciência e tecnologia.

Por meio de seus programas de ciências naturais, a UNESCO contribuiu para a execução global dos ODS ao oferecer assistência política para apoiar países em desenvolvimento no fortalecimento de suas capacidades científicas e tecnológicas, assim como para auxiliar os Estados-membros na elaboração de políticas efetivas baseadas no melhor conhecimento disponível, incluindo sistemas de conhecimento locais e autóctones.

A UNESCO está monitorando o progresso global em direção a Objetivos de Desenvolvimento Sustentável específicos através do Relatório de Ciência da UNESCO (ODS9), Relatório Global de Ciência do Oceano (ODS14) e do Relatório Mundial de Desenvolvimento da Água das Nações Unidas (ODS6).

A UNESCO desempenha um papel vital na construção de uma cultura global de comunidades resilientes. Com seu mandato multidisciplinar em educação, em ciências naturais e sociais, em cultura e também em comunicação e informação, a organização está em uma posição privilegiada para tratar de forma holística a mudança climática (ODS 13: ação contra a mudança global do clima (ODS 13: ação contra a mudança global do clima). Para ajudar sociedades em todo o mundo a compreender, mitigar e adaptar-se melhor à mudança global, mais de 30 programas contribuem para criar conhecimento e ampliar a conscientização acerca da mudança climática, seus riscos associados e suas implicações éticas. A UNESCO também auxilia os países a construir capacidades para a gestão de desastres e de risco climático, assim como capacidades para lidar com desastres, especialmente riscos geológicos, tsunamis e desastres relacionados à água.

A segurança hídrica é o foco do Programa Hidrológico Internacional (International Hydrological Programme – IHP) da UNESCO, dedicado a pesquisas sobre a água, gestão de recursos hídricos, educação e construção de capacidades. O IHP contribui para garantir a disponibilidade e a gestão sustentável da água e do saneamento, que estão estreitamente ligados à saúde e ao bem-estar dos seres humanos (ODS 6: água e saneamento). A gestão sustentável da água contribui para a segurança alimentar ao solucionar problemas na relação entre água, alimentos e agricultura. Atualmente, a maior parte das pessoas que não têm acesso à água limpa e ao saneamento básico vive em cidades localizadas em países em desenvolvimento, onde o IHP promove novas abordagens para a gestão dos recursos cada vez mais escassos em função de pressões climáticas e do crescimento populacional.

No âmbito do ODS 15: vida terrestre, a UNESCO promove o uso sustentável de ecossistemas terrestres, incluindo a gestão sustentável de florestas, o combate à desertificação e a interrupção da perda de biodiversidade por meio do Programa O Homem e a Biosfera (Man and the Biosphere Programme – MAB). As Reservas de Biosfera do MAB são sítios de aprendizagem para o desenvolvimento sustentável, onde são testadas abordagens interdisciplinares para a compreensão e a gestão das interações entre sistemas ecológicos e sistemas sociais, e também onde são promovidas soluções para reconciliar a conservação da biodiversidade e seu uso sustentável. A fim de oferecer a base de conhecimento necessária para abordar o atual declínio na biodiversidade nos serviços ecossistêmicos, a UNESCO está ativamente envolvida na Plataforma Intergovernamental Sócio-Política sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (Intergovernmental Science-Policy Platform on Biodiversity and Ecosystem Services – IPBES), além de liderar esforços para garantir o respeito pelo conhecimento autóctone e local no âmbito dessa Plataforma.

Voltar ao topo da página