A UNESCO e o Ano Internacional do Turismo Sustentável

A Organização das Nações Unidas proclamou 2017 como o Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento em reconhecimento ao grande potencial da indústria do turismo, que responde por cerca de 10% da atividade econômica mundial, para contribuir para a luta contra a pobreza e promover a compreensão mútua e o diálogo intercultural, temas centrais da missão da UNESCO.

Em sua proclamação do Ano Internacional, a ONU declarou: “Promover mais entendimento entre os povos de todos os lugares, o que leva a uma maior conscientização sobre o rico patrimônio de várias civilizações e a uma melhor apreciação dos valores inerentes às diferentes culturas, contribuindo dessa forma para fortalecer a paz no mundo”.

Esses objetivos têm sido reconhecidos há muito tempo pelos vários programas culturais e científicos da UNESCO, sobretudo pelo Programa do Patrimônio Mundial (World Heritage Programme), que vem trabalhando para assegurar que os turistas que visitam seus 1.052 sítios naturais e culturais beneficiem as comunidades locais, e que os fluxos de visitantes sejam administrados de maneira compatível com a conservação do patrimônio.

O turismo bem estruturado e bem administrado também pode contribuir significativamente para o desenvolvimento sustentável dos 119 Geoparques Mundiais (Global Geoparks) designados pela UNESCO em 33 países, os quais são sítios espetaculares que nos ensinam sobre a história do nosso planeta. Da mesma forma, o Programa O Homem e a Biosfera (Man and the Biosphere – MAB Programme), com seus 669 sítios em 120 países, tem sido uma laboratório pioneiro para a sustentabilidade, desde que foi estabelecido para promover o desenvolvimento econômico consciente da necessidade de preservar o meio ambiente e os recursos naturais. A Rede da UNESCO de 116 Cidades Criativas (Creative Cities) em 54 países também promove ações e inovações, sobretudo para a implementação da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

O turismo é impulsionado pelas forças da globalização que têm levado a um enorme aumento da circulação de bens e ideias, de pessoas e tendências culturais. Essa atividade pode ser canalizada de maneira a permitir que visitantes se divirtam e aprendam com a riqueza e a diversidade do patrimônio cultural, das expressões culturais e das práticas culturais imateriais. O turismo ajuda as indústrias culturais locais a encontrar novos públicos, assim como novos mercados, para seus bens e serviços.

Durante 2017, a UNESCO irá trabalhar com seus Estados-membros e muitos outros parceiros para garantir que o turismo sirva para preservar, em vez de destruir o patrimônio multifacetado do mundo, o qual contribui para o bem-estar e a dignidade das comunidades, além de proporcionar a reunião das pessoas.

Mensagem de Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, para o Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento

Ao designar 2017 como o Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento, a Assembleia Geral das Nações Unidas enfatizou “a importância do turismo internacional para promover mais entendimento entre os povos de todos os lugares, o que leva a uma maior conscientização sobre o rico patrimônio de várias civilizações, e a uma melhor apreciação dos valores inerentes às diferentes culturas, contribuindo dessa forma para fortalecer a paz no mundo”.

Viajar ajuda a abrir as portas para o intercâmbio intercultural e o diálogo. Atualmente, com mais de 1,2 bilhão de pessoas cruzando as fronteiras internacionais a cada ano, o turismo representa uma oportunidade de ouro para romper as barreiras da ignorância e dos preconceitos.

O turismo também tem o potencial para contribuir, direta e indiretamente, com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. Os dados da Organização Mundial do Turismo das Nações Unidas (United Nations World Tourism Organization – UNWTO) mostram a importância do turismo como veículo para a criação de empregos, gerando receitas para as comunidades que recebem os turistas e representando cerca de 1 em 11 postos de trabalho em todo o mundo. É nesse espírito que a UNESCO tem defendido um reconhecimento mais forte do papel da cultura como promotora do desenvolvimento sustentável, bem como da economia criativa como condutora do crescimento e da inovação.

Conhecemos o potencial do turismo. Também conhecemos muito bem o impacto do turismo mal administrado. Monumento antigos podem ser danificados pela pressão do turismo em massa, e o patrimônio imaterial corre grandes riscos se não for devidamente salvaguardado. Os sítios da UNESCO, como os sítios do Patrimônio Mundial, as Reservas da Biosfera e os Geoparques representam oportunidades incríveis para o turismo e, por isso, devemos assegurar que eles sejam administrados de forma responsável e sustentável.

O Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento é uma oportunidade para fortalecer a dinâmica positiva entre o patrimônio e o turismo. Em 2017, a UNESCO lançará várias iniciativas para apoiar o desenvolvimento do turismo sustentável, com a União Europeia e outros parceiros. A UNESCO também irá organizar conferências importantes sobre turismo nas Reservas da Biosfera que estão localizadas no Mediterrâneo, bem como sobre cultura e turismo juntamente com a UNWTO. O turismo sustentável requer novas parcerias para melhor educar e informar, de modo a estimular novos comportamentos e fortalecer o comprometimento entre todos os envolvidos com o turismo. Esse espírito orienta a cooperação entre a UNESCO e a UNWTO, para garantir que o turismo sustentável seja um catalisador de mudanças positivas do comportamento mundial.

Voltar ao topo da página