13.06.2019 - UNESCO Office in Brasilia

Desafios e avanços para o Brasil são debatidos em “Seminário Democracia, Educação e Equidade: uma agenda para todos”

Dezenas de gestores públicos, pesquisadores de relevo, do Brasil e exterior, e sociedade civil se debruçam sobre desigualdades na educação, justiça social e sistema democrático. Novo Indicador de Desigualdades e Aprendizagens (IDeA) também será lançado.

A Fundação Tide Setubal, o Insper e a Representação da UNESCO no Brasil promovem, em 25 e 26/06/2019, de 8h30 às 18h, o “Seminário Democracia, Educação e Equidade: uma agenda para todos”. Especialistas internacionais e brasileiros debaterão, no Insper (rua Quatá, 300, Vila Olímpia, São Paulo-SP), caminhos e soluções para enfrentar as desigualdades na educação e manter e fortalecer a justiça social e a democracia no país.

A agenda do dia 25 priorizará o tema das desigualdades educacionais e contará com um público convidado de técnicos e dirigentes de instituições do campo educacional, de OSCs, pesquisadores e gestores públicos, como os secretários de Educação. O dia 26 será dedicado a uma discussão mais ampla sobre desigualdades, justiça social e democracia e terá público diversificado. As instituições correalizadoras do evento são: Valor Econômico e Nexo Jornal. As inscrições para o público em geral são gratuitas e abertas somente para o segundo dia e podem ser realizadas pelo link: https://www.insper.edu.br/agenda-de-eventos/democracia-e-equidade/, onde também está disponível a programação do evento.

Entre os palestrantes internacionais estão: Juan Cruz Perusia (Instituto de Estatísticas da UNESCO-UIL); e Atílio Pizarro (Laboratório Latino-Americano de Avaliação da Qualidade da Educação - OREALC/UNESCO). A palestra magna, no segundo dia do evento, será proferida por Marc Fleurbaey, coordenador do Painel Internacional sobre Progresso Social - International Panel on Social Progress (IPSP), economista e professor da Universidade de Princeton, nos Estados Unidos. O professor Fleurbaey pesquisa meios simultâneos de se alcançar equidade, liberdade e sustentabilidade ambiental na sociedade contemporânea, diante de dificuldades no contexto global, o que exige, entre outros, novos tipos de governança, mais horizontalizados; salvaguardas de governos e sociedade para limitar as falhas do mercado; e cidadãos participativos nas cenas política, social e econômica, e daí a importância da educação, liberdade de imprensa e democracia.

“É um momento de criar pontes e fortalecer espaços de diálogo. Nesses dois dias, discutiremos o papel de diferentes agentes políticos no enfrentamento das desigualdades socioespaciais, educacionais e no fortalecimento da democracia. O diálogo certamente gerará subsídios para ações públicas que avancem na justiça social e que evitem retrocessos em direitos”, explica socióloga e educadora Neca Setubal, presidente do Conselho da Fundação Tide Setubal.

O time de especialistas do Insper contribuirá em vários temas: Marcos Lisboa (equidade); Carolina da Costa e Naercio Menezes Filho (desigualdades educacionais); e Ricardo Paes de Barros (relação Estado-sociedade).

Para a Diretora e Representante da UNESCO no Brasil, Marlova Jovchelovitch Noleto, “é muito importante discutir como as desigualdades sociais impactam a educação. Nesse sentido, a UNESCO está muito satisfeita em coorganizar este Seminário, que discute educação e equidade, com uma agenda para a inclusão”.

Os especialistas da UNESCO que apresentarão suas reflexões são Juan Cruz Perusia (medidas de qualidade, equidade e desigualdade em educação) e Atílio Pizarro (qualidade e desigualdade da aprendizagem na América Latina).

Cenário nacional e debate global

O cenário da educação no país continua a apresentar desigualdades socioeconômicas, de raça e de gênero em seu sistema, o que requer o debate e a contribuição de especialistas e profissionais do setor na busca por alternativas.  

No Seminário será lançado o Indicador de Desigualdades e Aprendizagens (IDeA), novo instrumento de abrangência nacional, criado para auxiliar o país a verificar as exclusões causadas pelo baixo nível de aprendizagem e pela desigualdade de aprendizagem (esta com recortes de nível socioeconômico, raça e gênero). O IDeA foi concebido por uma equipe multidisciplinar: José Francisco Soares, Professor Emérito da UFMG, concebeu o IDeA e liderou o seu desenvolvimento; Erica Castilho Rodrigues, professora do Departamento de Estatística da UFOP, integrou a equipe de pesquisadores, sendo corresponsável pelo desenvolvimento do IDeA; Mauricio Ernica, professor da Faculdade de Educação da Unicamp e conselheiro consultivo da Fundação Tide Setubal, coordenou e integrou a equipe que desenvolveu o IDeA; e Victor Maia Senna Delgado, professor do Departamento de Economia da UFOP, integrou a equipe de pesquisadores.

Durante o evento, as desigualdades educacionais serão relacionadas também ao debate internacional orientado pelo Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 4 (“assegurar a educação inclusiva e equitativa de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos”), assim como à Declaração de Incheon: “Educação 2030: Rumo a uma Educação de Qualidade Inclusiva e Equitativa e à Educação ao Longo da Vida para Todos”.

As discussões sobre a renovação e a continuidade da promoção da justiça social e da democracia no país são entendidas como um desafio global e, portanto, estarão relacionadas aos debates internacionais, orientados pelos ODS. Tais objetivos foram definidos pelos Estados-membro da ONU, o Brasil inclusive, para guiar as nações na formulação de políticas internas que levem ao desenvolvimento e à sustentabilidade econômica, social e ambiental.

***

A Fundação Tide Setubal é uma organização não governamental familiar, criada em 2006, cuja missão é fomentar iniciativas que promovam justiça social e o desenvolvimento sustentável de periferias urbanas e que reduzam as desigualdades socioespaciais em grandes cidades. Suas ações estão planejadas para atender quatro objetivos estratégicos: ampliação da transparência dos gastos públicos; fortalecimento da sociedade civil das periferias urbanas; expansão do debate sobre desigualdades educacionais; disseminação de experiências e práticas promotoras de equidade racial e de gênero.

O Insper é uma instituição independente e sem fins lucrativos dedicada ao ensino e à pesquisa nas áreas de Administração, Economia, Direito, Comunicação e Engenharia. O Insper tem como missão ser um centro de referência explorando complementariedades nessas áreas. Suas atividades de ensino abrangem cursos para todas etapas de uma trajetória profissional. Em seu campus, na Vila Olímpia (SP), oferece cursos de Graduação (Economia, Administração e Engenharia), Pós-graduação (MBA, Programas Avançados, Certificates, Mestrados Profissionais e Doutorado) e Educação Executiva (programas customizados e de curta e média duração). No âmbito da produção de conhecimento, o Insper atua por meio de centros de pesquisa que reúnem pesquisadores em projetos visando a produção de conhecimento em políticas públicas (CPP), negócios (CNEg) e finanças (CEFI), além das cátedras (Chafi Haddad, Insper e Palavra Aberta, Instituto Ayrton Senna, Instituto Unibanco e Ruth Cardoso) que viabilizam a realização de pesquisas e debates que se traduzem em políticas públicas compartilhadas com a sociedade. A instituição ainda conta com um centro que estimula o empreendedorismo (CEMP). Recentemente, a instituição recebeu a acreditação EQUIS, pela European Foundation for Management Development – EFMD, e passou a pertencer ao seleto grupo de escolas de negócios, menos de 1% no mundo, que possui a Triple Crown (AMBA + AACSB + EQUIS).

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) é uma agência especializada das Nações Unidas, criada em 1945 com o propósito de contribuir para uma cultura de paz entre os povos, por meio de ações em educação, ciências naturais, ciências humanas e sociais, cultura e comunicação e informação. Os temas de mandato da Organização contribuem para um mundo mais justo, inclusivo, humano e sustentável para todos. A Representação da UNESCO no Brasil iniciou suas atividades no país em 1972, e atua por meio de projetos de cooperação técnica firmados com as três instâncias governamentais - federal, estadual e municipal -, com o setor privado e com as organizações da sociedade civil.  

****

Informações para a imprensa:

  • Fundação Tide Setubal

Fabiana Pereira, fabiana(at)pbcomunica.com.br, (11) 99983-9941

Marcelo Rodrigues, marcelo(at)pbcomunica.com.br, (11) 96291-1985

  • Insper

Bruna Anchesch, assessoriadeimprensa(at)insper.edu.br (11) 4504-2672

Rafaella Silva, assessoriadeimprensa(at)insper.edu.br, (11) 4504-2501

  • UNESCO no Brasil

Ana Lúcia Guimarães, a.guimaraes(at)unesco.org, (61) 2106-3536, (61) 99966-3287

Fabiana Pullen, f.sousa(at)unesco.org, (61) 2106-3596, (61) 99848-8971





<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página