13.02.2014 - UNESCOPRESS

Diretora-geral repudia a morte do repórter Santiago Ilídio Andrade no Rio de Janeiro

A diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, condenou hoje a morte do repórter de TV Santiago Ilídio Andrade, ocorrida em 10 de fevereiro, no Rio de Janeiro.

“Estou profundamente preocupada com a morte de Santiago Ilídio Andrade”, disse a diretora-geral. “O assassinato de jornalistas é um duro golpe para a sociedade como um todo. Devem ser tomadas medidas para melhorar a segurança dos profissionais de comunicação social que reportam cenas potencialmente perigosas”.

“As empresas de mídia devem treinar seus funcionários sobre como trabalhar em ambientes perigosos, enquanto as forças de segurança e o público em geral devem se conscientizar sobre as condições particulares dos jornalistas durante eventos, como a manifestação na qual Ilídio Andrade foi agredido”, concluiu a sra. Bokova.

Santiago Andrade, repórter da rede de televisão Bandeirantes, foi ferido por um explosivo em 6 de fevereiro, enquanto filmava o confronto entre a polícia e manifestantes que protestavam contra o aumento de tarifas do transporte público. O jornalista foi levado ao hospital, onde morreu devido às graves lesões que sofreu.

Desde 1º de janeiro de 2013, a diretora-geral da UNESCO condenou seis assassinatos de jornalistas no Brasil. Seus depoimentos foram postados em uma página do portal da UNESCO dedicada a assassinatos de jornalistas.

                                              ****

Contato para a imprensa: Sylvie Coudray, s.coudray(at)unesco.org,  +33 (0)1 45 68 42 12

A UNESCO é a agência das Nações Unidas com mandato para defender a liberdade de expressão e a liberdade de imprensa. O Artigo 1 de sua Constituição estabelece que a Organização deve defender o “respeito universal por justiça, pelo Estado de Direito e pelos direitos humanos e liberdades fundamentais, que são afirmadas pelos povos do mundo, sem distinção de raça, sexo, língua ou religião, por meio da Carta das Nações Unidas”. Para realizar esse mandato, a Organização deve “colaborar no progresso do conhecimento e entendimento mútuo dos povos por todos os meios de comunicação de massa e, para este fim, recomendar os acordos internacionais necessários para promover o livre fluxo de ideias por meio de palavras e imagens...”.

 

 




<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página