20.06.2012 -

Evento paralelo reconhece avanços na Rio+20 sobre tema da água

© UNESCO/Nelson MuchagataEstudante aprendendo o uso efetivo da água doce no Brasil

Representantes da América Latina e do Caribe, reunidos hoje (20/06) no Solar da Imperatriz, no Rio, consideraram que a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, está alcançando importantes avanços no que se refere ao tema da água. Durante a Reunião das Comissões Nacionais do Programa Hidrológico Internacional (PHI), o vice-presidente do Conselho Mundial da Água, Benedito Braga, disse que esta é a primeira vez que a questão da água está explicitamente sendo considerada nas negociações políticas.

“Para os chefes de Estado a água está agora no centro do desenvolvimento sustentável", afirmou Benedito Braga, que fez um relato sobre o Sexto Fórum Mundial de Água, realizado em Marselha, do qual saíram recomendações para a Rio+20. Ele lembrou que um dos diálogos de maior interesse na Rio+20 foi o da água, que reuniu 2.500 pessoas. "Não se pode desenvolver políticas de recursos hídricos sem conversar com os políticos e as pessoas que têm o poder de mudar as coisas", disse.
 
Gretchen Kalonji, diretora-geral adjunta para Ciências Naturais da UNESCO, destacou o papel de liderança da América Latina no cenário mundial em termos de água, apesar de algumas limitações intergovernamentais. "Existem muitos exemplos de boas práticas na gestão da água na região, em especial no Caribe, mas podemos fazer ainda mais. O Ano Internacional da Água (2013) é uma boa meta; temos pela frente um trabalho importante de comunicação".
 
A diretora-geral adjunta observou ainda a relevância do trabalho desenvolvido pelas comissões e centros nacionais associados ao PHI na América Latina e Caribe. Ela explicou que “a UNESCO, junto com a Comissão Oceanográfica Internacional, quer reforçar na região temas como a gestão das águas, das costas e a educação, fortalecendo principalmente o tema no ensino universitário".
 
Na Reunião das Comissões Nacionais do Programa Hidrológico Internacional (PHI) foram apresentados vários estudos de caso relacionados à água, entre eles o da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul, no Brasil, da República Dominicana e do Uruguai, além de programas da Itaipu e HidroEX.
 
O Programa Hidrológico Internacional (PHI) é o único programa intergovernamental do sistema das Nações Unidas dedicado a pesquisa hidrológica, manejo de recursos hídricos e educação e desenvolvimento de capacidades. O programa, delineado de acordo com as necessidades dos Estados-membros, é implementado em etapas de seis anos, permitindo sua adaptação a um mundo em acelerado processo de mudanças.

O PHI continuará a promover e encabeçar pesquisas hidrológicas internacionalmente, assim como facilitar a educação e o desenvolvimento de capacidades, e reforçar a gestão de recursos hídricos. O objetivo desses esforços é contribuir para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs) de sustentabilidade ambiental, abastecimento de água, saneamento, segurança alimentar e redução da pobreza.
 
Mais informações




<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página