25.04.2019 - UNESCO Office in Brasilia

“O jazz fala pela vida” - Dia Internacional do Jazz

Mensagem de Audrey Azoulay, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia Internacional do Jazz, 30 de abril de 2019

Neste oitavo Dia Internacional do Jazz, vamos nos lembrar das palavras inspiradoras do grande Martin Luther King, que falou sobre o papel essencial do jazz na criação de um sentido de identidade entre os afro-americanos e incontáveis outros indivíduos ao redor do mundo. “O jazz fala pela vida”, ele disse no Festival de Jazz de Berlim de 1964. “Quando a vida em si não oferece ordem ou significado, o músico cria ordem e significado a partir dos sons da terra que fluem através de seu instrumento”.

O jazz é um florescimento da beleza, nascido da opressão – a música da improvisação e da criação coletiva. A liberdade e a abertura estão em seu cerne, o que permite que esse gênero seja adotado por culturas de todo o mundo, assim como seja enriquecido por cada uma delas com sua própria história musical e suas notas específicas. O jazz dá voz às lutas e às aspirações de milhões de pessoas e é um incrível símbolo da livre expressão e da dignidade humana. É uma língua universal da paz, em uma época de discórdia e divisão crescentes.

Com suas fortes ligações com o gênero, a Austrália é a anfitriã do Dia Internacional do Jazz deste ano, com o All-Star Global Concert, que será realizado na cidade de Melbourne e transmitido ao vivo para milhões de pessoas em todo o mundo.

O Embaixador da Boa Vontade da UNESCO, o icônico pianista norte-americano Herbie Hancock, que primeiro defendeu um Dia Internacional do Jazz e conduziu à sua proclamação em 2011, irá se apresentar no evento. Ele será acompanhado por vários artistas internacionais, que incluem a aclamada cantora norte-americana Dee Dee Bridgewater e o trompetista australiano James Morrison. Igualmente impressionantes são os amplos programas educacionais e de extensão que serão realizados em toda a Austrália, de Sydney até Perth, que darão especialmente aos jovens a oportunidade de descobrir o jazz e até mesmo começar a tocar um instrumento.

Milhares de celebrações também ocorrerão em todo o mundo – de apresentações e jam sessions a filmes, palestras e debates sobre jazz. Eu encorajo a todos a participar e experimentar a rica história, bem como os ritmos e as formas em constante evolução do jazz.

A UNESCO tem orgulho de colaborar com o Herbie Hancock Institute of Jazz, para promover esse magnífico meio de diálogo por intermédio da música, no Dia Internacional do Jazz, vamos ser orientados pelos valores e pela visão do jazz como uma força unificadora e uma voz de esperança para tantas pessoas.

  • Leia mais (site oficial do Dia Internacional do Jazz, em inglês)



<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página