21.03.2013 - UNESCO Office in Brasilia

Mensagem da diretora-geral da UNESCO por ocasião do Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial

Mensagem de Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial, 21 de março de 2013

O Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial, 21 de março, é um dos mais antigos dias internacionais comemorados pelas Nações Unidas.

Este dia leva-nos a refletir sobre as origens dos princípios que sustentam a vida social e a solidariedade internacional. Ele também incorpora a razão de ser da UNESCO, seu esforço em criar condições para o entendimento mútuo e a tolerância nas mentes de homens e mulheres.

O racismo envenena as sociedades diversas e multiculturais em que vivemos. A discriminação racial quer seja latente ou abertamente exibida, pode assumir a forma de negação de emprego, de habitação ou de educação, ou a forma de agressão física; ela prospera sobre uma lógica de classificação e divisão do gênero humano que aponta como indesejáveis o estranho, a minoria, o imigrante e, finalmente, a própria humanidade. É arraigado em preconceitos herdados de épocas passadas e sustentado pela ignorância e deve ser combatido por meio de ações destinadas a reforçar os princípios invioláveis da dignidade humana.

Para este fim, a UNESCO, baseando-se na força de seu mandato, está incluindo a educação em direitos humanos nos currículos escolares, transmitindo, assim, a história das páginas mais sombrias do passado – em especial a escravidão, o tráfico de escravos, o Holocausto e os genocídios. O sentido de profunda unidade do gênero humano deve ser reforçado pela promoção das culturas e pelo melhor conhecimento dos fundamentos compartilhados que as aproxima. A Coalizão Internacional de Cidades contra o Racismo da UNESCO tem demonstrado a sua relevância por meio do intercâmbio das melhores práticas a fim de reforçar a coesão social. De acordo com a sabedoria de ubuntu, mais habilmente defendida pelo Reverendíssimo Desmond Tutu, arcebispo emérito da Cidade do Cabo, uma pessoa precisa de outras para ser plenamente ela mesma. A UNESCO aprovou a mensagem do ubuntu e a coloca em prática no âmbito de uma estratégia integrada e aprovada há mais de dez anos.

A UNESCO está trabalhando para aproveitar todos os recursos culturais e educacionais e para aproveitar ao máximo todas as fontes de conhecimento para que todos possam viver juntos da melhor forma em nossa diversidade. Convoco todos os parceiros da UNESCO, governos, ONGs, artistas, atores da sociedade civil e ativistas de direitos humanos para se juntar a nós na defesa do princípio da tolerância zero da discriminação racial, em apoio às vítimas e na luta contra todas as formas de racismo, xenofobia e intolerância.




<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página