27.11.2012 - UNESCO Office in Brasilia

Mensagem de Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia Mundial da Luta contra a Aids, 1° de dezembro de 2012

A aids permanece um dos mais graves desafios mundiais à saúde, tragicamente afetando famílias e enfraquecendo comunidades e sociedades. Não podemos abrandar nossos esforços para alcançar o índice zero de novas infecções por HIV, zero de discriminação e zero de mortes relacionadas à aids.

Neste Dia Mundial da Luta contra a aids, encorajamo-nos, pois nossos esforços estão produzindo resultados. Devemos nos motivar para controlar a doença por meio de programas sobre HIV e uso de poderosas novas ferramentas para prevenir que pessoas se infectem e morram de causas relacionadas à aids.

Estamos fazendo progresso. O número de novos casos continua a cair em todo o mundo. O número de adultos e crianças infectados pelo HIV em 2011 é 20 por cento menor do que em 2001. É encorajador que o número de pessoas morrendo de causas relacionadas à aids na África subsaariana tenha caído em 32 pontos percentuais de 2005 a 2011. Ao mesmo tempo, devemos atentar à realidade de que, globalmente, 34 milhões de pessoas estavam vivendo com o HIV ao final de 2011. Grandes desafios ainda permanecem.

Como copatrocinadora da UNAIDS, a UNESCO está completamente alinhada com a UNAIDS para alcançar o índice zero de novas infecções por HIV, zero de discriminação e zero de mortes relacionadas à aids. Trabalhamos em prol desse objetivo de “triplo zero” com o apoio a países, e por meio de parcerias, para melhorar a educação sexual e HIV para jovens, dando enfoque a jovens em idade apropriada em sua “segunda década”, ou seja, entre 10 e 20 anos. A UNESCO responde às necessidades das sociedades ao situar seu trabalho em um contexto mais amplo de educação em saúde e saúde escolar. Apoiamos ministérios da educação e saúde para que trabalhem em conjunto para garantir com mais eficácia que jovens tenham o conhecimento e as habilidades necessários para levar vidas saudáveis. O enfrentamento das desigualdades de gênero é um foco especial de nosso trabalho, pois mulheres e meninas são fortemente afetadas pelo HIV e carregam o maior fardo no cuidado.

O progresso deve fortalecer nossa determinação em criar um mundo livre de aids. HIV e aids podem ser superados por meio do comprometimento e da solidariedade permanentes. Para isso, devemos usar cada recurso e toda informação disponível da melhor maneira possível. Essa é nossa mensagem neste Dia Mundial da Luta contra a Aids.




<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página