20.03.2017 - UNESCO Office in Brasilia

Mensagem da UNESCO para o Dia Mundial da Poesia

Mensagem de Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia Mundial da Poesia, 21/03/2017

Nós não temos asas, não podemos voar;

Mas nós temos pés para escalar e subir

Por lentos graus, mais e mais,

Os cumes nebulosos de nosso tempo.

Em um momento em que os desafios que enfrentamos – desde a mudança climática, desigualdade e pobreza até o extremismo violento – parecem tão árduos, as palavras do poeta Henry Wadsworth Longfellow nos dão esperança.

Organizada em palavras, colorida com imagens, batida com a métrica certa, a poesia tem um poder incomparável. É o poder de nos sacudir da vida cotidiana e nos lembrar a beleza que nos cerca e a resiliência do espírito humano compartilhado.

A poesia é uma janela para a diversidade humana de tirar o fôlego. A Lista Representativa do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade inclui dúzias de formas de expressão oral e poesia, desde o duelo poético Tsiattista do Chipre, a poesia cantada Ca trù do Vietnã e Al-Taghrooda, até a tradicional poesia cantada beduína do Omã e dos Emirados Árabes Unidos. Tão antiga quanto a própria linguagem, a poesia segue mais vital do que nunca, em um tempo de turbulência, como fonte de esperança e um modo de compartilhar o que significa viver neste mundo.

O poeta Pablo Neruda escreveu: “a poesia é um ato de paz”. A poesia é única em sua habilidade de falar através do tempo, espaço e cultura, a fim de alcançar diretamente os corações das pessoas em todos os lugares. É uma fonte de diálogo e compreensão – sempre foi uma força para desafiar a injustiça e promover a liberdade. Como nova embaixadora da Boa Vontade da UNESCO para Liberdade Artística e Criatividade, Deeyah Khan, disse que toda arte, inclusive a poesia, “tem a extraordinária capacidade de expressar resistência e rebelião, protesto e esperança”.

A poesia não é um luxo.

Ela reside no âmago de quem nós somos, como mulheres e homens, vivendo juntos hoje, aproveitando a herança das gerações passadas, guardiões do mundo para os nossos filhos e netos.

Ao celebrar a poesia hoje, nós celebramos nossa capacidade de nos unir, em um espírito de solidariedade, para escalar “os cumes nebulosos do nosso tempo”. Nós precisamos disso para levar adiante a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, implementar o Acordo do Clima de Paris, para garantir que nenhuma mulher ou homem sejam deixados para trás.




<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página