12.02.2014 - UNESCO Office in Brasilia

Semana da Aprendizagem Móvel: uma revolução para uma educação inclusiva e de qualidade

© UNESCOMobile Learning Week

[O que devemos fazer para tornar materiais educacionais acessíveis a uma menina de uma família pobre na África, onde mais de 50% das mulheres de sua idade nunca chegarão a frequentar a escola? O que devemos fazer para que livros cheguem às mãos das pessoas mais pobres da Terra?

A resposta, pelo menos no curtíssimo prazo, está nos aparelhos móveis – mais precisamente, nos telefones móveis (telefones celulares, smartphones, tablets etc.). Aparelhos móveis são a tecnologia de informação e comunicação mais onipresente e bem-sucedida na história da humanidade. Elas existem em grandes quantidades, em lugares onde livros e escolas são escassos.

Em menos de uma década, a tecnologia móvel se espalhou para os lugares mais longínquos do planeta. Da população estimada da Terra, por volta de 7 bilhões de pessoas, 6 bilhões já possuem acesso a um telefone móvel em funcionamento. A África, que apresentava um índice de penetração da telefonia móvel de somente 5% nos anos 1990, atualmente é o segundo maior e mais crescente mercado de telefonia móvel do mundo, com um índice de penetração de mais de 60%, e ainda aumentando.

Os aparelhos móveis estão transformando o modo pelo qual nós nos comunicamos, vivemos e aprendemos. Devemos garantir que essa revolução digital torne-se uma revolução na educação, promovendo uma aprendizagem inclusiva e de melhor qualidade em todos os lugares.

De 17 a 21 de fevereiro de 2014, a Organização promoverá a Semana de Aprendizagem Móvel da UNESCO (UNESCO Mobile Learning Week – MLW 2014), que vai analisar como as tecnologias móveis podem atender às necessidades dos educadores e ajudá-los a melhorar a sua eficácia. Com o tema “Empoderar professores por meio da tecnologia”, a MLW 2014 considerará os benefícios, assim como os desafios associados à aprendizagem móvel, como garantir a equidade de aparelhos, a segurança online, conteúdos limitados e de uso amigável, além da necessidade de capacitação dos professores. “A tecnologia pode ser um poderoso multiplicador da educação, mas devemos saber como usá-la... A tecnologia, por si só, não é o suficiente. O empoderamento vem de habilidades e oportunidades para utilizá-la; vem da qualidade dos conteúdos, os quais devem ser inclusivos e disponíveis nas línguas e nos sistemas de conhecimento locais”, afirmou a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova.
 
À medida que a tecnologia móvel se desloca das margens da educação para seu centro, os professores tornam-se peça-chave para o sucesso das TIC no ensino e na aprendizagem. Não sendo uma panaceia, a tecnologia móvel tem um registro claro do caminho para melhorar a eficiência educacional. A MLW 2014 investigará como os educadores podem utilizar melhor os aparelhos móveis para atingir objetivos nacionais e internacionais de aprendizagem, incluindo a Educação para Todos (EPT).

Apesar do progresso impressionante, o mundo ainda não está no caminho certo para atingir os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio até sua data limite, em 2015. Para garantir a educação primária universal, a UNESCO estima que 6,8 milhões de professores devem ser contratados em todo o mundo até 2015: 1,7 milhão são necessários para preencher novos postos, e 5,1 milhões são necessários para substituir os professores afastados.

Essas reduções – tanto atuais quanto futuras – impedem uma ampla gama de esforços de desenvolvimento, ao não permitir que jovens tenham acesso à instrução de alta qualidade, necessária para se sobressair nas sociedades do conhecimento. A redução do número de professores capacitados e motivados é mais aguda em partes do mundo nas quais necessita-se desesperadamente de mais instrução de melhor qualidade. À luz da emergência da crise mundial de professores, a UNESCO quer compreender melhor como a tecnologia móvel pode ajudar a preparar novos professores e proporcionar desenvolvimento professional para os professores na ativa.
 
Para agravar os desafios da oferta de professores, existem as preocupações sobre a qualidade dos professores. Muitas crianças que estão na escola fracassam no desenvolvimento de competências básicas. Como revela o mais recente Relatório de Monitoramento Global de Educação para Todos da UNESCO, 250 milhões de estudantes em todo o mundo não conseguem ler, escrever ou contar, mesmo após quatro anos na escola. Aproximadamente 775 milhões de adultos – dos quais 64% são mulheres – ainda não sabem ler ou escrever, com os índices mais baixos encontrados na África Subsaariana, assim como no Sul e no Oeste da Ásia.

Melhorar o acesso e a qualidade da educação requer liderança política, planejamento e ação. Para isso, a MLW 2014 abrigará um fórum de política, simpósios, monitoramento de pesquisa e oficinas de 11 dias de meio período, além de 80 apresentações sobre os tópicos de ponta, como Recursos Educacionais Abertos; aplicativos de sala de aula para smartphones e celulares simples; conteúdos para tablets e netbooks; métodos pedagógicos para a aprendizagem móvel; desenvolvimento de aplicativos para a aprendizagem móvel; mídias sociais e mais.

As tecnologias móveis têm a chave para transformar a exclusão digital atual em dividendos digitais, trazendo educação igualitária e de qualidade para todos.




<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página