03.09.2013 - UNESCO Office in Brasilia

Diretora-geral da UNESCO pede maior cooperação para uma maior segurança da água

No dia 2 de setembro, a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, participou do Painel de Alto Nível da Sessão Plenária de Abertura da Semana Mundial de Água em Estocolmo, cujo tema era “A construção de parcerias de cooperação pela água para futuras decisões orientadas e suas implementações”.

Durante sua intervenção, a diretora-geral aconselhou a ampliação do diálogo inter-setorial e uma abordagem abrangente sobre a gestão sustentável dos recursos hídricos, destacando que a água é denominador comum de muitos desafios globais na saúde, na agricultura, na energia e na urbanização.   

“A construção de uma cooperação pela água é mais do que um problema técnico ou científico”, disse Bokova. “Trata-se de uma questão sobre a luta contra a pobreza e a fome, e sobre a proteção do meio ambiente. Trata-se de salvar crianças de doenças. Trata-se de permitir que meninas frequentem escolas ao invés de andar quilômetros em busca de água. Trata-se de fornecer a homens e mulheres o acesso a saneamento básico onde quer que vivam. Fundamentalmente, trata-se de uma questão de paz, na base do diálogo entre os Estados e entre as regiões”.

Participaram do debate Angel Gurría, secretário-geral da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), Peter Bakker, presidente do Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (WBCSD, em inglês), Yolanda Kakabadse, presidente do Fundo Mundial para a Natureza (WWF, em inglês) e Ursula Schaefer-Preuss, presidente da Associação Mundial pela Água (GWP, em inglês).

Irina Bokova também reconheceu um enorme progresso ao longo dos anos no entendimento da água como um bem público frágil, tanto em quantidade quanto em qualidade, devido à sobre-exploração e à poluição pelas atividades humanas. Ela enfatizou que os esforços definidos como metas pelas Nações Unidas (Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) têm tido um papel importante para chamar a atenção para os problemas relacionados à água.

A diretora-geral sublinhou que, apesar da crença comum, a água continua a provar-se um catalisador para a cooperação, em vez de um conflito.

“Existe água doce suficiente no mundo – o desafio é compartilhá-la, é julgar melhor os riscos e as incertezas, é vincular ciência com política de uma maneira mais consistente, é alavancar colaborações entre empresas, sociedade civil e governos”.

Ela concluiu seu discurso assinalando que a segurança da água só é alcançável por meio de fortes governanças e cooperações.

No mesmo dia, a diretora-geral se reuniu com Gunilla Carlsson, ministro para o Desenvolvimento da Cooperação Internacional da Suécia, e lhe foi concedida uma audiência com o rei e a rainha do Reino da Suécia. Entre os tópicos do encontro estavam a cooperação pela água, liberdade de expressão, educação sexual e HIV/AIDS, igualdade de gênero, a agenda de desenvolvimento pós-2015, patrimônio mundial, Educação para Todos, e o futuro para a UNESCO, incluindo oportunidades e desafios.  




<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página