27.02.2013 - UNESCO Office in Brasilia

Diretora-geral expressa profunda tristeza com falecimento do embaixador Stephane Hessel

A diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, falou em nome de toda a comunidade da UNESCO, expressando sua profunda tristeza em razão da morte do embaixador Stephane Hessel, em 27 de fevereiro de 2013.

“Stephane Hessel foi um dos maiores defensores dos direitos humanos, da tolerância e do entendimento mútuo do século XX. A força e a clareza de sua visão sobre a dignidade inerente de cada mulher e de cada homem permanecem como inspiração para todos nós hoje”, declarou a diretora-geral.

Irina Bokova enfatizou a convicção que orientou toda a vida e o trabalho de Stephane Hessel e que inspirou os muitos papéis de liderança que ele desempenhou nas Nações Unidas, inicialmente com a minuta da Declaração Universal dos Direitos Humanos. 

“Com o falecimento de Stephane Hessel, o mundo perdeu uma de suas mais enérgicas e graciosas vozes em prol dos direitos humanos e um de seus mais fortes defensores da paz e das causas das Nações Unidas – nestes tempos desafiadores, seu legado e mensagem permanecem tão poderosos e relevantes quanto nunca”, afirmou Irina Bokova.

Stephane Hessel foi marcado pela sua experiência na Segunda Guerra Mundial, quando ele se juntou à Resistência Francesa e foi capturado e deportado para o campo de concentração de Buchenwald. Posteriormente, dedicou sua vida à promoção dos direitos humanos para todos, como a base para uma cultura de paz e um maior respeito e entendimento mútuo.

Em 2008, Stephane Hessel recebeu o Prêmio UNESCO/Bilbao para a Promoção de uma Cultura de Direitos Humanos. Seu engajamento junto à UNESCO foi duradouro, inclusive durante a Década Internacional para a Promoção de uma Cultura de Paz e Não Violência para as Crianças do Mundo, liderada pela UNESCO.

Stephane Hessel foi um escritor ativo e um ativista até seus últimos dias, nunca deixando esmorecer sua vontade de apoiar todos aqueles que são marginalizados e enfrentam discriminação.

Em entrevista para a UNESCO, em 11 de dezembro de 2012, Stephane Hessel ressaltou os desafios que o mundo enfrenta:

“[...] sem subestimar o enorme progresso feito até agora, ainda há muito a ser feito para que mulheres, homens e crianças – convivendo e comunicando-se entre si – possam tornar-se cidadãos globais genuínos, convivendo em respeito mútuo, que é essencial para o seu bem-estar.”

Nesse contexto, ele expressou o importante papel da UNESCO:

“Em um tempo em que a meta de construir a paz entre os homens, um dos objetivos da UNESCO, está longe de ser atingida, é por meio da educação que as atuais deficiências podem ser solucionadas.







<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página