20.05.2014 - UNESCO Office in Brasilia

UNESCO e biodiversidade insular

© UNESCO/Arnaud MaderSao Miguel Island, Ponta Delgada (Azores) - Arborescent fern, Sao Borges Garden, Portugal

Mensagem de Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia Internacional da Diversidade Biológica, 22 de maio de 2014.

UNESCO e biodiversidade insular

Neste no, o Dia Internacional da Diversidade Biológica é dedicado à "biodiversidade insular", em sintonia com a designação pela Assembleia Geral das Nações Unidas de 2014 como o Ano Internacional dos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento.

Em setembro, Samoa sediará a Terceira Conferência Internacional dos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento. A UNESCO está ajudando a preparar esse grande evento, que ajudará a formar uma nova agenda global de desenvolvimento sustentável pós-2015. Essa agenda deve reconhecer a importância dos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento para o desenvolvimento sustentável global.

A biodiversidade insular é essencial. Muitas ilhas e arquipélagos desenvolveram, com o tempo, uma diversidade única, com um alto grau de endemismo e desafios de conservação particulares, com espécies em pequenas ilhas particularmente vulneráveis à extinção.

Os meios de vida e as identidades culturais dos ilhéus têm sido sempre inextricavelmente ligados à biodiversidade. No entanto, com a presença de pessoas e a biodiversidade associada – lavouras, criação de animais e pestes –, o risco de extinção da biodiversidade nativa é especialmente alto, e novas comunidades de espécies tomaram, de forma significativa, o lugar da biodiversidade nativa das ilhas em muitos locais. Atualmente, a mudança climática, os desastres naturais e o desenvolvimento não sustentável estão ameaçando a sustentabilidade de comunidades humanas nas ilhas, assim como a biodiversidade insular.

A UNESCO está agindo para enfrentar esses desafios. A sub-Rede de Reservas da Biosfera Insular e Costeira (20 membros) e a Rede para Reservas da Biosfera do Pacífico (10 membros) pertencem à Rede Mundial de Reservas da Biosfera do Programa da UNESCO O Homem e a Biosfera. A Convenção do Patrimônio Mundial também inclui muitos sítios naturais insulares.

A Comissão Oceanográfica Intergovernamental da UNESCO está construindo a capacidade de liderança dos diretores de institutos científicos marinhos e costeiros, com foco nos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento, onde os meios de vida dependem fortemente dos recursos marinhos. A Comissão Oceanográfica Intergovernamental do Sistema de Informação Biogeográfica do Oceano é um portal para a biodiversidade oceânica mundial, os dados biogeográficos e a informação, construindo e mantendo uma aliança global de mais de 500 instituições, em 56 países, inclusive em Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento.

A UNESCO também está trabalhando por meio de iniciativas, como a Climate Frontlines and Sandwatch, para construir as capacidades de ilhéus e desenvolver redes que ajudem comunidades a se auto organizarem e criarem seus próprios recursos, culturalmente sensíveis e cientificamente saudáveis. Isso inclui iniciativas para ajudar a conservar a biodiversidade insular.

Por meio de tudo isso, a UNESCO está comprometida a trabalhar com todos os parceiros para a implementação do Programa de Ação para o Desenvolvimento Sustentável dos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento, e a Organização está contribuindo de forma intensiva para preparar uma Terceira Conferência Internacional dos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento de sucesso.

Enquanto damos forma à agenda de desenvolvimento pós-2015, devemos reconhecer a importância da biodiversidade insular e trabalhar juntos para assegurar a conservação desse recursos natural precioso e insubstituível, que é a base para o bem-estar da humanidade.




<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página