11.12.2013 - UNESCO Office in Brasilia

UNESCO e parceiros lançam a Aliança Global em Mídia e Gênero

A recente Aliança visa a intensificar ações para a igualdade de gênero nos conteúdos e no pessoal de mídia.

A rede inclui representantes de organizações midiáticas, profissionais de mídia, acadêmicos, formuladores de políticas, grupos da sociedade civil e agências de desenvolvimento. A adesão de membros será dinâmica e aberta a todas as partes interessadas que concordarem com os princípios essenciais. Clique aqui para se unir à Aliança (em inglês).

A Declaração Final (Final Statement) da conferência define a missão principal da Aliança Global em Mídia e Gênero (Global Aliance on Media and Gender – GAMG) como: "Somos comprometidos com a igualdade de gênero e com o empoderamento das mulheres de várias gerações, a participarem e se expressarem totalmente, além da capacidade de elas terem acesso à tomada de decisões por meio da promoção de uma mídia inclusiva nas questões de gênero e de um ambiente de comunicação que atinja a igualdade de gênero nas organizações de mídia”. 

O Fórum de Bangkok tomou como ponto de referência a Declaração de Beijing de 1995 e a Plataforma para Ação da Quarta Conferência Mundial sobre Mulheres. Nessa declaração, as Nações Unidas identificaram desigualdades de gênero na mídia – no acesso, na representação e na escassez de tomadoras de decisão – como áreas-chave de preocupação. No entanto, houve progresso, mas fragmentado e sem a força de um movimento mundial.
 
Na cerimônia de encerramento da conferência, o diretor-geral adjunto do Setor de Comunicação e Informação da UNESCO, Janis Karklins, destacou como a GAMG poderá contribuir para a Agenda de Desenvolvimento Pós-2015 e para a Conferência da ONU sobre as Mulheres, em 2015. Ele anunciou que mais comentários sobre a declaração final do fórum seriam aceitos via site da Sede da UNESCO (UNESCO Headquarters' website), até 15 de dezembro de 2013.

No fechamento do evento, Churairat Sangboonnum, a secretária-geral da Comissão Nacional da Tailândia perante a UNESCO, disse que o fórum foi um sucesso no estímulo ao diálogo sobre a igualdade das mulheres na mídia. "Nosso intuito em nos reunir neste encontro é estimular o debate sobre os desafios enfrentados por programas sobre gênero e mídia, internacionais, regionais e nacionais”, disse ela. “Mais especificamente, também tivemos a intenção de viabilizar a Aliança Global em Mídia e Gênero e atingir o Objetivo de Desenvolvimento do Milênio de número 3, que consiste em promover a igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres. Neste encontro, acredito que tivemos sucesso em atingir nossos objetivos”. 
 
Corletha Ollivierre, diretora do Conselho da União Caribenha de Radiodifusão, aplaudiu o marco de ação preliminar da GAMG, dizendo que ele iniciou um fórum para o diálogo e a cooperação, particularmente entre grupos da sociedade civil e agências de mídia.

"A Aliança Global começa hoje, com todos nós nesta sala juntos com outros parceiros para assegurar que as coisas aconteçam" afirmou ela. "As agências de mídia não são inimigas da sociedade civil. Precisamos tentar encontrar caminhos para nos engajar construtivamente... Devemos trabalhar juntos para promover a transformação necessária”.

Philomene Aboudou, da União Africana de Emissoras, concordou que a GAMG serviu como um valioso fórum de cooperação e como um mecanismo necessário há tempos para se avançar em uma das principais áreas de preocupação do Plano de Ação de Beijing. “Em Beijing, falamos sobre mídia e gênero, mas não tomamos novas medidas. Depois deste evento agora, teremos um mecanismo importante para trabalhar junto com a UNESCO nessa questão”, disse ela.  

Adama Lee Bah, presidente da organização Jovens na Mídia e representante jovem no Comitê de Coordenação da Global Alliance for Partnerships on Media and Information Literacy, convocou os jovens a terem voz na GAMG e as gerações mais velhas a serem abertas a essa importante voz. "O que nós queremos...é [uma plataforma] na qual os jovens possam ter confiança para dizer o pensam, falar sobre seus sonhos e desafios para um futuro melhor".
 
Os principais parceiros da UNESCO no Fórum Global em Mídia e Gênero foram: ONU-Mulheres, Ministério da Educação da Tailândia, Organização Meteorológica Mundial (OMM), Organização Islâmica para a Educação, a Ciência e a Cultura (ISESCO), Centro para Liberdade da Mídia de Doha, International Research and Exchanges Board (IREX), Associação Mundial para a Comunicação Cristã (AMCC), Instituto Panos para a África do Sul, University Thammasat, Serviço Público de Radiodifusão da Tailândia, e Al-Jazeera.




<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página