26.04.2013 - UNESCO Office in Brasilia

UNESCO celebra o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa na Costa Rica

“Falar sem medo: assegurando a liberdade de expressão em todas as mídias”

Paris, 24 de abril – Quase toda semana, a UNESCO registra a morte de mais um(a) jornalista, em decorrência de seu(sua) atividade profissional. Esse cálculo trágico lança uma grande sombra sobre a liberdade de imprensa, que é celebrada anualmente pela UNESCO, no dia 3 de maio. Neste ano, o principal evento do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa ocorrerá de 2 a 4 de maio, na Costa Rica, com uma conferência internacional sobre o tema “Falar sem medo: assegurando a liberdade de expressão em todas as mídias”.

O evento inclui também a cerimônia de premiação do Prêmio Mundial de Liberdade de Imprensa UNESCO-Guillermo Cano. A laureada de 2013 é a jornalista etíope Reeyot Alemu, que cumpre cinco anos de prisão na penitenciária Kality, na Etiópia. A diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, e a presidente da Costa Rica, Laura Chinchilla, presidirão a cerimônia, em 3 de maio (das 9h às 10h30min).

Os participantes da conferência incluem representantes das principais organizações defensoras da liberdade de expressão, editores, jornalistas, professores e as Nações Unidas. Serão discutidos três temas principais: garantia da segurança de jornalistas e profissionais da mídia, combate à impunidade de crimes contra a liberdade de imprensa e segurança online.

Durante a última década, mais de 600 jornalistas foram assassinados em todo o mundo. Apenas em 2012, a UNESCO condenou o assassinato de 121 profissionais da mídia. Garantir a segurança dos jornalistas tornou-se uma prioridade, e a UNESCO liderou a elaboração do Plano de Ação das Nações Unidas sobre a Segurança dos Jornalistas e a Questão da Impunidade. Esse Plano prevê que as agências da ONU envolvidas e seus parceiros trabalhem juntos para criar um ambiente de trabalho mais seguro para os jornalistas. A conferência vai avaliar a implementação do Plano, que busca, entre outros pontos, apoiar o desenvolvimento de leis nacionais sobre segurança e liberdade de expressão, conscientizar a população e treinar jornalistas – inclusive jornalistas online – sobre questões de segurança.

As últimas pesquisas demonstram que, em média, não mais do que um entre dez crimes contra jornalistas é levado aos tribunais e punido. A conferência vai examinar as dificuldades e os obstáculos que impedem as investigações de ataques contra a liberdade de imprensa, os meios de superá-los e as melhores práticas na luta contra a impunidade.

Finalmente, em um cenário marcado pela importância crescente da mídia na web, os participantes também vão reexaminar o tema da segurança para jornalistas online, inclusive jornalistas-cidadãos, que nem sempre têm consciência dos riscos que correm.

Neste ano comemora-se o 20º aniversário do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, que foi estabelecido em 1993 pela Assembleia Geral das Nações Unidas. Para marcar a ocasião, a UNESCO lançará a publicação “Pressing for Freedom”, que analisa a revolução ocorrida nas redações nas últimas duas décadas, com o crescimento do ciclo de notícias transmitidas 24 horas por dia, blogs, redes sociais, podcasts, webcasts, jornalismo cidadão, e menciona que esses desenvolvimentos ainda não abriram caminho para um maior respeito pelas liberdades básicas.

Vários outros eventos do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa também estão planejados para ocorrer em outras regiões, o que serve como lembrança de que, em muitos países, frequentemente as mídias enfrentam a censura, o fechamento forçado e a suspensão de atividades, e que os jornalistas continuam a ser perseguidos, atacados, presos e assassinados.




<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página