27.01.2014 -

A UNESCO observa o Dia Internacional de Comemoração da Memória das Vítimas do Holocausto

© UNESCO/Fabrice GentileIrina Bokova, UNESCO Director-General, writing in the Shoah Memorial's book of Remembrance (2014)

A diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, observou hoje o Dia Internacional de Comemoração da Memória das Vítimas do Holocausto, presidindo uma série de eventos focados no compromisso da UNESCO com a lembrança e a educação:

“O futuro não pode ser construído sobre um passado esquecido”, disse a diretora-geral durante sua visita anual ao Memorial Shoah em Paris pela manhã. “A história do genocídio dos judeus é a história do povo judeu e é também a história da humanidade como um todo”. 

Bokova expressou o “compromisso inabalável da UNESCO de educar novas gerações e prevenir, por meio da educação sobre o holocausto, violência em massa e genocídios no futuro.”

“O trabalho da UNESCO pela educação sobre o holocausto e pela memória não é um olhar sobre o passado — ele atua no presente na luta contra o racismo, o antissemitismo e a negação”, disse Bokova, com a promessa de “nunca ceder na luta contra o antissemitismo e a negação; isso é indiscutível”.

Ao longo do dia, Bokova foi acompanhada pelo sobrevivente do holocausto Samuel Pisar, embaixador honorário da UNESCO, enviado especial para educação sobre o holocausto. Durante a cerimônia à noite, na UNESCO, para o Dia Internacional de Comemoração da Memória das Vítimas do Holocausto, observado anualmente em 27 de outubro, ele falou sobre aqueles que adentraram as câmaras da morte nazistas: “Depois de fechadas as portas de aço, quando o gás letal era liberado, eles tinham somente três minutos de vida. Ainda assim, encontravam forças para fincar as unhas nas paredes e escrever as palavras: ‘Esquecer? Jamais!’ Esses apelos, essas palavras, nos impuseram a sagrada obrigação de rememorar seu destino cruel e estar sempre alerta quanto ao nosso”.

Outro sobrevivente do holocausto que participou da cerimônia foi o rabino-chefe de Tel Aviv, Meir Lau, presidente do Centro Mundial Yad Vashem de Pesquisa, Documentação, Educação e Recordação do Holocausto.

Eric de Rotschild, presidente do Memorial de Shoah em Paris, também participou da cerimônia na UNESCO e alertou para o crescimento do ódio étnico contemporâneo, incluindo novas formas de antissemitismo.

János Lázár, Ministro de Estado do gabinete do Primeiro Ministro da Hungria, insistiu na importância de se estudar a história do holocausto durante seu discurso na cerimônia da noite e falou sobre a história da Hungria durante a Segunda Guerra Mundial: “Também cometemos crimes contra nós mesmos, de forma passiva e, infelizmente, com ações também. De um lado, alguns líderes do Estado húngaro de então foram pessoalmente e gravemente responsáveis pela deportação de judeus húngaros e também por sua condenação à morte. De outro lado, o Estado húngaro não foi capaz de proteger seus próprios cidadãos, e não fez todos os esforços que poderia ter feito para resolver a questão.”

A cerimônia que encerrou o dia de recordação foi feita com a participação e o apoio dos embaixadores de Israel, da França e da Alemanha à UNESCO.
Nesse dia, a UNESCO também lançou uma nova publicação, Holocaust Education in a Global Context [Educação sobre o holocausto em um contexto global], publicada em colaboração com a Fundação Topografia do Terror (Topography of Terror Foundation), da Alemanha.

O livro examina as oportunidades que surgem a partir da educação sobre o holocausto em vários contextos culturais e cenários educacionais. Ele oferece estudos de caso de diferentes partes do mundo, conectando a educação sobre o holocausto com as violações aos direitos humanos na Argentina do século XX, aos genocídios em Ruanda,  à África do Sul pós-apartheid e ao diálogo judaico-árabe.

Também durante o Dia de Comemoração, 300 acadêmicos e representantes de organizações especializadas, incluindo Steven Katz, assessor da Aliança Internacional para a Memória do Holocausto, participaram do seminário internacional O Impacto da Educação sobre o Holocausto: Como Avaliar Políticas e Práticas? O evento foi organizado pela UNESCO e pelo Instituto George Eckert para Pesquisa Internacional sobre Livros Escolares (Alemanha). Nele, foram apresentadas análises da evolução do ensino sobre o holocausto em diferentes partes do mundo.

O Dia também serviu como oportunidade para acompanhar a evolução de uma ampla gama de projetos envolvendo a educação sobre o holocausto lançados pela UNESCO em anos recentes, incluindo seminários, publicações e projetos de sensibilização global.

Diversas exposições foram abertas na UNESCO no Dia e permanecerão até 13 de fevereiro: “Journeys through the Holocaust” (Jornadas pelo holocausto), testemunhos em vídeo de refugiados judeus, criado pela University of Southern California Shoah Foundation em cooperação com a UNESCO; “In the Footsteps of the Lost” (No rastro dos que se perderam), fotografias de Matt Mendelsohn, apresentadas pelo Shoah Memorial; “The World Knew: Jan Karski’s Mission for Humanity” (O mundo sabia: A missão de Jan Karski pela humanidade), organizada pela delegação permanente da Polônia da UNESCO; e “Shoah Survivors: Courage, Determination, Life” (Sobreviventes de Shoah: Coragem, determinação, vida), pinturas de Alain Husson-Dumoutier, Artista pela Paz da UNESCO.

O Dia Internacional de Comemoração da Memória das Vítimas do Holocausto foi organizado em parceria com o museu e centro de documentação Mémorial de la Shoah de Paris, com o Instituto Georg Eckert de Pesquisa Internacional sobre Livros Escolares, a USC Shoah Foundation e a Hungria.

****




<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página