05.12.2017 - UNESCO Office in Brasilia

Mensagem da UNESCO para o Dia dos Direitos Humanos

Mensagem de Audrey Azoulay, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia dos Direitos Humanos, em 10 de dezembro de 2017

Ao final da Segunda Guerra Mundial, a humanidade inteira resolveu promover a dignidade humana em todos os lugares e para sempre. Nesse espírito, as Nações Unidas adotaram a Declaração Universal dos Direitos Humanos como “um padrão comum de conquistas para todos os povos e todas as nações”.

Hoje, a Declaração Universal chega aos seus 70 anos de existência em um tempo de desafio crescente. O ódio, a discriminação e a violência permanecem vivos. Centenas de milhões de mulheres e homens são destituídos e privados de condições básicas de subsistência e de oportunidades. Movimentos populacionais forçados estão violando os direitos em uma escala sem precedentes. A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável promete não deixar ninguém para trás – e os direitos humanos devem ser o alicerce para todo o progresso.

Isso deve começar o quanto antes nas carteiras das escolas. A UNESCO lidera hoje a educação em direitos humanos para assegurar que todas as meninas e meninos saibam seus direitos e os direitos dos outros. Esse é o espirito do trabalho na UNESCO para uma educação em cidadania global, que fortalece o respeito à diversidade cultural com base na solidariedade e nos direitos universais. É por essa razão que a UNESCO lança hoje o Relatório de Monitoramento Global da Educação de Jovens e uma campanha que incentiva a juventude a cobrar dos governos que assegurem o direito de todos à educação (#whosaccountable).

Em dezembro de 1948, a UNESCO foi a primeira agência das Nações Unidas a colocar a Declaração Universal no centro de todas as suas ações e a promovê-la pelo mundo por meio da educação e da mídia.

Hoje, e por todo o ano que se segue, a UNESCCO convoca a todos a renovarem seu compromisso com os direitos humanos e com a dignidade que une a humanidade como uma única família, e a defender a Declaração dos Direitos Humanos em cada sociedade e em todas as instâncias.

O primeiro artigo da Declaração Universal diz: “todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos”.

Isso ressoou pelo mundo em 1948 – e continua a ressoar hoje.




<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página