16.10.2018 - UNESCO Office in Brasilia

Mensagem da UNESCO para o Dia Internacional pela Erradicação da Pobreza

Mensagem de Audrey Azoulay, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia Internacional pela Erradicação da Pobreza, 17 de outubro de 2018

“A pobreza não tem lugar na sociedade humana civilizada. Seu lugar adequado é em um museu”, disse Muhammad Yunus, de Bangladesh, um dos criadores do microcrédito e ganhador do Prêmio Nobel da Paz de 2006, por seu compromisso com as populações mais desfavorecidas.

Desde os anos 1990, em todo o mundo, tem sido realizado um progresso considerável para reduzir a pobreza e a miséria; como consequência disso, mais de 1 bilhão de pessoas foram retiradas da pobreza extrema. Esses resultados espetaculares são uma fonte de satisfação e esperança, mas não devem obscurecer os desafios que ainda restam. Hoje, estima-se que 635 milhões de pessoas ainda vivem na pobreza extrema, o que corresponde a mais de 8% da população mundial. A maior parte dessas pessoas vivem no Sul da Ásia e na África Subsaariana.

A pobreza é um problema relacionado não apenas a recursos financeiros, mas também à falta de oportunidades. A erradicação da pobreza é o primeiro Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável. Contudo, ela é intimamente ligada a outros Objetivos, como assegurar boa saúde e boas condições de higiene, acesso à educação de qualidade para todos, oportunidades de emprego decente, igualdade de gênero e preservação do meio ambiente.

O crescimento econômico deve ser mais inclusive e ajudar a promover os empregos sustentáveis. É essencial que cada país forneça proteção social a seus cidadãos, para protegê-los das muitas incertezas socioeconômicas em um mundo em constante mudança. A educação é uma ferramenta poderosa para o desenvolvimento: é fundamental que todas as crianças – meninos e meninas – recebam 12 anos de educação básica.

A educação deve abordar questões relacionadas a saúde, sexualidade, igualdade de gênero e desenvolvimento sustentável, a fim de romper o círculo vicioso de costumes sociais e percepções coletivas que perpetuam a desigualdade. A UNESCO, a agência líder das Nações Unidas para a educação, enfoca seus esforços especialmente na educação de meninas, como uma força motriz para a paz e o desenvolvimento.

Neste Dia Internacional e neste 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, vamos nos unir para garantir que todas as pessoas, em todo o mundo, possam ter condições de vida decentes.

 




<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página