11.10.2018 - UNESCO Office in Brasilia

Mensagem da UNESCO para o Dia Internacional das Meninas

Mensagem de Audrey Azoulay, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia Internacional das Meninas, 11 de outubro de 2018

O Dia Internacional das Meninas deste ano concentra-se no empoderamento por meio da educação. A educação das meninas é um direito fundamental e é também uma alavanca poderosa para o desenvolvimento.

A educação das meninas está na interseção de dois dos desafios mais importantes do nosso tempo: educação e igualdade de gênero. Uma consciência coletiva está surgindo para garantir que o direito à educação de qualidade para todas as meninas se torne uma realidade. Fortes sinais de compromisso político de alto nível ficaram evidentes na Assembleia Geral das Nações Unidas em Nova York, há duas semanas, bem como na primeira reunião do G-20 dedicada à educação, realizada na Argentina no mês passado. A recente iniciativa da Comunidade das Nações de estabelecer uma plataforma de alto nível para a educação de meninas é um sinal adicional dessa nova consciência global.

Os desafios ainda são imensos. Em todo o mundo, hoje, mais de 130 milhões de meninas em idade escolar estão fora da escola. Além disso, das 600 milhões de meninas adolescentes que ingressarão no mercado de trabalho na próxima década, mais de 90% vivem em países em desenvolvimento e trabalharão em uma economia informal onde o trabalho não remunerado, o abuso e a exploração são mais prevalentes.

É por isso que a UNESCO, a agência líder da ONU para a educação no contexto da Agenda 2030, está trabalhando com a comunidade internacional para que as meninas possam ter acesso a 12 anos de educação básica de forma gratuita. A Agência está empenhada em assegurar que os Estados incluam em seus currículos escolares questões relacionadas à igualdade de gênero, saúde e sexualidade, de modo a romper com os hábitos sociais e representações coletivas que impedem a liberdade das meninas e constituem barreiras para a sua formação intelectual e integração social e profissional.
A integração das meninas no mundo em que o contexto de trabalho está em mudança inclui, em particular, mais facilidade de acesso às carreiras científicas e tecnológicas, onde elas são frequentemente sub-representadas.

A fim de incentivar o ensino inovador que ajuda as meninas a adquirir a autoconfiança de que necessitam e que reduzirá as desigualdades de gênero, a UNESCO estabeleceu, em 2015, com o apoio do governo da China, um Prêmio para Meninas e Educação de Mulheres. Este ano, o Prêmio foi concedido à Fundação Misr El Kheir (Egito), por apoiar a educação de meninas em aldeias pobres, e à Women’s Centre of Jamaica Foundation (Jamaica), para que continue apoiando adolescentes grávidas e jovens mães na Jamaica, dando a elas uma segunda chance para dar continuidade a sua educação.

Essas iniciativas devem nos inspirar. A educação das meninas deve ser uma das nossas prioridades, porque, em grande medida, a paz e a prosperidade do nosso mundo dependem disso.

 




<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página