16.12.2016 - UNESCO Office in Brasilia

Mensagem da UNESCO para o Dia Internacional dos Migrantes 2016

Mensagem de Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia Internacional dos Migrantes, 18 de dezembro de 2016

Atualmente, a piora das condições dos movimentos de migrantes e refugiados em todo o mundo, assim como o aumento alarmante do número de mortes relacionadas a esses movimentos, pedem novas ações para fortalecer a solidariedade mundial e a proteção dos direitos humanos dessas pessoas.

Essa foi a mensagem transmitida pela Cúpula Humanitária Mundial, pela Cúpula das Nações Unidas para Refugiados e Migrantes, e por sua Declaração de Nova York

Agora, o mundo deve agir.

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável oferece um novo marco de ação abrangente para realizar avanços, por meio da elaboração de uma nova agenda mundial para a migração, fundamentada nos princípios dos direitos humanos, da igualdade de gênero e do respeito pela diversidade cultural.

A UNESCO trabalha com Estados-membros, outras agências do Sistema das Nações Unidas e partes interessadas, para transformar esse compromisso em realidade, investindo no desenvolvimento de políticas mais específicas e mais claras, em uma cooperação mais forte e em um compartilhamento de conhecimentos mais amplo. Um aspecto comum de todas as nossas iniciativas é a promoção de uma cultura de acolhimento, que permita a inclusão e a participação plenas de refugiados e migrantes nas sociedades que os recebem.

O papel das cidades é decisivo aqui, para criar novas formas de convivência. Esse é o espírito subjacente da Iniciativa Cidades Acolhedoras para Refugiados (Welcoming Cities for Refugees Initiative), lançada pela Fundação Marianna V. Vardinoyannis e pela Coalizão Europeia de Cidades contra o Racismo, parte da Coalizão Internacional de Cidades Inclusivas e Sustentáveis da UNESCO, lançada em 2004. Estamos liderando iniciativas pioneiras para empoderar jornalistas para combater narrativas xenófobas e estereotipadas na mídia. Por meio da educação para a cidadania global, estamos agindo para estimular um sentido de solidariedade para com os outros, compartilhando a riqueza da diversidade como uma força de renovação. Onde as necessidades são mais graves, como na crise da Síria, a UNESCO oferece educação de qualidade, apoio psicossocial e habilidades para uma vida melhor para refugiados e pessoas deslocadas internamente. Ao aproveitarmos ao máximo as nossas ferramentas de estabelecimento de padrões para o reconhecimento de qualificações estrangeiras e para o ensino e a formação técnica e profissional, estamos enfrentando as barreiras para permitir o acesso de migrantes e refugiados à educação e ao mercado de trabalho.

A proteção dos direitos humanos e da dignidade de migrantes e refugiados é uma emergência humanitária e um imperativo para o desenvolvimento – assim como uma condição para a construção de um mundo mais justo, mais pacífico e mais sustentável.

Neste Dia Internacional dos Migrantes, eu chamo os Estados-membros para que renovem a promessa da Agenda 2030 de não deixar ninguém para trás.

 

 




<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página