30.11.2017 - UNESCO Office in Brasilia

Mensagem da UNESCO para o Dia Mundial contra a Aids

Mensagem de Audrey Azoulay, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia Mundial contra a Aids, em 1º de dezembro de 2017

Neste Dia Mundial contra a Aids, a UNESCO e o Programa Conjunto das Nações Unidas UNAIDS se unem para pedir por um mundo onde cada mulher e cada homem possa alcançar o mais alto padrão de saúde possível, livre do estigma e da discriminação.

Para isso, devemos assegurar a todos o direito a uma educação de qualidade, porque esses dois direitos – à saúde e à educação – são indissociáveis. Essa ligação que os une está no centro dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 e da Estratégia do UNAIDS 2016-2021.

Conforme indicado na Estratégia da UNESCO sobre Educação para a Saúde e o Bem-Estar: Contribuir para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, a saúde e a educação se reforçam mutuamente. Assim, os estudantes saudáveis aprendem melhor, e os que recebem melhor educação, são mais saudáveis.

A saúde e a educação também são interdependentes. Sem o direito à educação, nós não podemos verdadeiramente garantir o direito à saúde. Há um amplo reconhecimento de que o sucesso educacional depende muito do estado de saúde dos estudantes, assim como os fatores que os influenciam, como comportamentos relacionados à saúde, os contextos de risco e o uso de serviços de prevenção. Estudos descobriram que adolescentes que receberam educação em sexualidade abrangente e de boa qualidade, associada ao acompanhamento de profissional qualificado, têm 40% a menos de risco de terem uma gravidez precoce ou indesejada e 30% a mais de chance de concluírem a educação secundária superior. Isso se traduz em melhores condições de saúde em longo prazo, incluindo uma redução significativa no risco de infecção pelo HIV, e permite salvar milhares de vidas, sabendo-se que mais de 70 mil adolescentes de países em desenvolvimento morrem a cada ano por complicações relacionadas à gravidez e ao parto.

Em um mundo onde os jovens – especialmente meninas e mulheres jovens – carregam de maneira excessiva o fardo do HIV e da aids, devemos todos reconhecer o papel central que a educação em sexualidade abrangente exerce em favor de seu direito à saúde, e para a saúde de todas as sociedades.

Neste dia, convoco a todos os parceiros a unir forças para pôr um fim, até 2030, à ameaça que a aids constitui à saúde pública como parte do nosso compromisso em promover o desenvolvimento sustentável, os direitos humanos, a igualdade de gênero e a justiça social.     

 

 

 




<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página