20.05.2014 - UNESCO Office in Brasilia

Mensagem da UNESCO para o Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento

Mensagem de Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento, 21 de maio de 2014.

Nossa diversidade cultural é patrimônio comum da humanidade. É uma fonte de renovação de ideias e sociedades, por meio da qual nos abrimos aos outros e criamos novas maneiras de pensar. Essa diversidade proporciona oportunidades para a paz e o desenvolvimento sustentável.

No esforço final para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, a UNESCO continua a fortalecer seu apoio e ação em favor do vínculo entre cultura e desenvolvimento sustentável. A resolução adotada em dezembro de 2013 pela Assembleia Geral das Nações Unidas, reconhecendo o papel da cultura como um condutor e um facilitador para o desenvolvimento sustentável, é um convite para mobilizar, ainda mais, o potencial da diversidade cultural. Essa diversidade é um recurso valioso para atingir os objetivos de desenvolvimento, inclusive combate à pobreza e promoção da igualdade de gênero, educação de qualidade e direitos humanos, e devemos integrá-lo totalmente nas estratégias globais para o desenvolvimento sustentável.

O Relatório das Nações Unidas sobre Economia Criativa de 2013*, publicado pela UNESCO em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), confirma que a economia criativa é um dos setores que cresce mais rapidamente no mundo. Números indicam que o comércio mundial de produtos e os serviços criativos totalizaram o número recorde de US$ 624 bilhões, em 2011, e mais do que dobrou de 2002 a 2011. Da concepção à produção audiovisual, das artes performáticas aos novos meios de comunicação, da publicação às artes visuais, a nossa diversidade cultural é uma diversidade criativa. É uma fonte de emprego e renda, comunicando identidades e pontos de referência coletivos, contribuindo para a coesão social e a autoestima em nosso mundo globalizado.

A maior força de bens e serviços culturais está na sua natureza dual, econômica e cultural. Essa especificidade proporciona uma resposta para as demandas crescentes por mais políticas integradas, capazes de abordar as dimensões econômica, social e ambiental do desenvolvimento. A cultura não é uma commodity como outra qualquer, e esse princípio, que é internacionalmente reconhecido pela Convenção da UNESCO sobre a Proteção e a Promoção da Diversidade das Expressões Culturais, adotada em 2005, é um princípio orientador para forjar estratégias de desenvolvimento mais inovadores e sustentáveis.

Nós entramos em uma nova era de limites – em termos de recursos, em termos do planeta –, e nossa resposta deve ser a de liberar nosso recurso renovável mais poderoso, a inteligência humana e a criatividade. Nossa diversidade cultural é um estimulador de criatividade. Investir nessa criatividade pode transformar sociedades. É nossa responsabilidade desenvolver educação e habilidades interculturais em jovens para sustentarmos a diversidade do nosso mundo e aprendermos a conviver na diversidade de nossos idiomas, culturas e religiões, a fim de causar mudança.

Hoje, clamo aos Estados-Membros da UNESCO a levar esta mensagem ao mais alto nível, para incluir cultura e diversidade cultural na agenda de desenvolvimento sustentável pós-2015. Precisamos fazer imediatamente da cultura uma prioridade.

* Relatório das Nações Unidas sobre Economia Criativa de 2013:




<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página