31.05.2013 - UNESCO Office in Brasilia

UNESCO divulga mensagem sobre pensar, comer e salvar para celebrar o Dia Mundial do Meio Ambiente

Mensagem de Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho de 2013.

 

Pensar, comer, salvar

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) estima que 1,3 bilhão de toneladas de alimentos são desperdiçadas anualmente, enquanto 870 milhões de pessoas permanecem subnutridas.

Esse desperdício é inaceitável, em uma época em que milhões passam fome. Com um impacto crescente no nosso meio ambiente, nós temos de desenvolver métodos mais sustentáveis de produção de alimentos. Nós devemos pensar sobre o que comemos, a fim de salvar nosso planeta.

Essa é a mensagem “Pensar, comer, salvar” do Dia Mundial do Meio Ambiente. Essa atitude deve ter início em cada um de nós, no modo como pensamos e agimos, e esse é o motivo pelo qual a educação é tão importante.

Como a agência líder da Década das Nações Unidas da Educação para o Desenvolvimento Sustentável (2005-2014), a UNESCO trabalha para empoderar alunos com novas atitudes e valores, para mudar seus comportamentos e estilos de vida. A sustentabilidade é uma responsabilidade que todos nós compartilhamos, e isso inclui alimentar-se de forma sensata e economizar comida. As escolas são a linha de frente na luta contra o desperdício, a fome e a desnutrição. A iniciativa YouthXchange da UNESCO, em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), é um exemplo concreto do nosso comprometimento com os jovens para promover a sustentabilidade.

A agricultura está profundamente enraizada nos meio ambientes locais – esse é o motivo pelo qual nós devemos desenvolver práticas sustentáveis que sejam significativas para as comunidades locais. A UNESCO criou, em todo o planeta, 600 reservas da biosfera, como locais de aprendizado para o desenvolvimento sustentável. Muitas dessas reservas cultivam alimentos e têxteis produzidos de forma orgânica, o que ajuda a conservar a diversidade biológica e a promover o emprego no meio rural. Das Reservas da Biosfera de Luberon-Lure e de Aya, respectivamente na França e no Japão, à de Dana, na Jordânia, comunidades locais estão desenvolvendo bioprodutos que atendem às necessidades locais e globais, e de forma a contribuir para um meio ambiente saudável e reduzir o desperdício.

Não há nada mais cultural e social do que os alimentos. Por meio do seu trabalho para salvaguardar o patrimônio cultural imaterial da humanidade, a UNESCO promove práticas para melhorar a qualidade da alimentação, utilizando as tradições locais. Da dieta mediterrânea à cozinha tradicional mexicana, “comer localmente” significa mais qualidade, menos desperdício e menor produção/consumo de alimentos (foodprint). Isso significa participar de práticas culturais tradicionais e vibrantes. Esse também é o motivo pelo qual é tão importante compartilhar sistemas de conhecimento locais, e aprender sobre sustentabilidade por meio de técnicas tradicionais de caça, pesca e agricultura.

Nós precisamos acabar com o desperdício de alimentos em todos os pontos deste processo: da produção, transporte e armazenamento até as vendas e o consumo. Cada um nós deve repensar os próprios hábitos alimentares, a fim de causar impacto em toda a cadeia de alimentos. Essa é a forma como vamos lançar as bases para uma maior sustentabilidade, e essa é a mensagem da UNESCO para este Dia Mundial do Meio Ambiente.

Irina Bokova




<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página