23.11.2016 - UNESCO Office in Brasilia

A segurança das mulheres no contexto da mudança climática - Dia Internacional da Eliminação da Violência contra a Mulher

Mensagem de Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia Internacional da Eliminação da Violência contra a Mulher, 25 de novembro de 2016

A segurança das mulheres no contexto da mudança climática

A violência contra as mulheres é uma grave violação de direitos humanos fundamentais e uma ameaça para milhões de meninas e mulheres ao redor do mundo. Pelo menos uma de cada três mulheres em todo o mundo foi espancada, coagida a fazer sexo ou abusada de outra forma no curso de sua vida. Sociedades inteiras são afetadas pela violência, que pode ser física, sexual (assédio, coerção ou discriminação) ou psicológica (abuso verbal ou emocional, como o bullying e a exclusão do grupo social).

Neste Dia Internacional da Eliminação da Violência contra a Mulher, a UNESCO chama atenção para a mudança climática e os recursos escassos como fatores que alimentam a violência contra as mulheres – em casa, nas ruas e durante desastres naturais causados pelo clima.

A mudança climática é um multiplicador de ameaças – pode agravar a migração e o deslocamento de populações, assim como contribuir para problemas nas colheitas ou inundações, aumentando assim a pressão nos lares e nos meios de subsistência. Estudos mostram que as mulheres são responsáveis por 65% da produção alimentar doméstica na Ásia, por 75% na África Subsaariana e por 45% na América Latina. Com frequência, são os papéis tradicionais das mulheres que as colocam em maiores riscos derivados da mudança climática – elas se tornam vulneráveis à violência ao terem de andar dezenas de quilômetros todos os dias para garantir comida, água e lenha, ou após terem sido deslocadas ou empobrecidas por desastres. A perda dos meios de subsistência e a pobreza também podem aumentar a violência doméstica por causa de pressões econômicas, e devido a práticas persistentes de mutilação genital feminina e casamento infantil.

A UNESCO está empenhada em todos os setores para fortalecer a resiliência diante da mudança climática, integrando uma abordagem de gênero em todas as suas ações. Tomando como ponto de partida parcerias e iniciativas, a UNESCO leva adiante a ideia de que mulheres e meninas são essenciais para se enfrentar a mudança climática, especialmente, por exemplo, no gerenciamento de recursos hídricos e na prontidão para riscos de desastres.

Sabemos que as emissões de gases de efeito estufa causam impactos no planeta. Também devemos reconhecer que a mudança climática provoca impactos na vida de meninas e mulheres em todo o mundo. Estamos diante da entrada em vigor do Acordo Climático de Paris e nos preparamos para uma realização bem-sucedida da COP22 em Marrakech – por isso, não devemos nos esquecer de metade da nossa população e do enorme potencial que essa parcela representa. As mulheres devem estar no centro de todas as soluções dos efeitos da mudança climática.




<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página