10.08.2017 - UNESCO Office in Brasilia

A juventude construindo a paz

Mensagem de Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia Internacional da Juventude, 12 de agosto de 2017.

O mundo nunca foi tão jovem e está se tornando ainda mais jovem a cada dia que passa. O desenvolvimento de qualquer sociedade depende da forma como ela estimula seus jovens - mulheres e homens, da forma como são apoiados.

Em 2015, havia 1,2 bilhão de jovens em todo o mundo, e mais de 600 milhões deles viviam em cenários frágeis ou afetados por conflitos. Os jovens carregam os fardos mais pesados nas situações de conflito e violência – eles também são essenciais para qualquer solução duradoura que conduza à paz.

Temos exemplos em todas as partes do mundo. Nousha Kabawat ensina habilidades de resolução de conflitos em campos de refugiados. Monday Collins é uma ex-criança-soldado e um pacificador jovem e inspirador. Nadiehezka Palencia é uma jovem advogada especialista em direitos humanos que trabalha no processo de paz na Colômbia. Cada um deles é membro de nossa comunidade #YouthofUNESCO. Cada um é prova viva de que os jovens já estão mudando o mundo para melhor – precisamos reconhecer esse fato e apoiá-los em suas ações.

Esse é o espírito da Resolução 2.250 do Conselho de Segurança das Nações Unidas sobre juventude, paz e segurança: se envolver e se associar a jovens de ambos os sexos, bem como com suas organizações, para promover a paz e impedir o extremismo violento. Os jovens estão no coração da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, e a UNESCO está trabalhando em todos os campos para apoiá-los não como beneficiários, mas como líderes, que desempenham papéis essenciais nos âmbitos local, nacional e mundial. Isso se inicia com o trabalho para criar ambientes para empoderar jovens de ambos os sexos como promotores de mudanças em suas comunidades, para fortalecer os fundamentos do diálogo e da paz, especialmente em áreas afetadas por conflitos ou pela violência.

No Dia Internacional da Juventude, vamos todos nos unir – atores internacionais, governos, sociedade civil e instituições educacionais – para nos associar a jovens, mulheres e homens, com o objetivo de criar novos caminhos em direção a sociedades mais pacíficas.

Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO

 

 




<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página