Programa Memória do Mundo

© Arquivo Nacional
Síntese para auldas da Escola Nacional de Informações (EsNI)

A memória do mundo é a memória coletiva e documentada dos povos do mundo, ou seja, seu patrimônio documental, que representa boa parte do patrimônio cultural mundial. Ela traça a evolução do pensamento, dos descobrimentos e das realizações da sociedade humana. É o legado do passado para a comunidade mundial presente e futura.

Grande parte da memória do mundo se encontra nas bibliotecas, nos arquivos, nos museus e nos locais de custódia espalhados por todo o planeta, e uma grande porcentagem dela corre perigo atualmente. O patrimônio documental de numerosos povos tem se dispersado devido aos “estragos da guerra”, ao deslocamento acidental ou deliberado de acervos arquivísticos e coleções ou a outras circunstâncias históricas. Às vezes, obstáculos práticos ou políticos dificultam o acesso a ele, enquanto em outros casos, deterioração ou destruição são as ameaças.

Histórico do Programa

A UNESCO estabeleceu o programa internacional Memória do Mundo em 1992. O ímpeto originou-se do aumento de conscientização sobre a condição lamentável de preservação e o acesso ao patrimônio documental em várias partes do mundo. Guerras e conflitos sociais, bem como a grande falta de recursos, fizeram com que piorassem os problemas existentes há vários séculos. Coleções de grande importância ao redor do mundo têm tido vários destinos, como: saques, dispersão, tráfico ilegal, destruição, arquivamento e investimento inadequados. Muitas coleções já se perderam para sempre, e muitas outras estão ameaçadas de extinção, mas, felizmente, alguns patrimônios documentais às vezes são redescobertos.

Em 1993, um Comitê Consultivo Internacional (International Advisory Committee - IAC) foi formado e reuniu-se pela primeira vez em Pultusk, Polônia, para produzir um plano de ação que afirmou o papel da UNESCO como coordenadora e catalisadora para sensibilizar governos, organizações e fundações internacionais, além de promover parcerias para a implementação de projetos. A partir daí foram formados subcomitês técnicos e de marketing, e a Federação Internacional de Associações de Bibliotecários e Bibliotecas (IFLA) foi contratada para preparar diretrizes gerais para o Programa e, em conjunto com o Conselho Internacional de Arquivos (ICA), compilar listas de coleções de bibliotecas e de acervos de arquivos danificados de forma irreparável.

No mesmo ano, a UNESCO, por meio de suas Comissões Nacionais, preparou uma lista de acervos de bibliotecas e arquivos, bem como uma lista mundial de patrimônios cinematográficos nacionais. Além disso, deu-se início a uma gama de projetos-piloto com emprego de tecnologia contemporânea para reproduzir o patrimônio documental original em outros meios (incluindo, por exemplo, um CD-ROM das Crônicas de Radzivill, do século XIII, que traça as origens dos povos da Europa; e a Memória da Ibero-América, um projeto de microfilmagem de jornais, envolvendo sete países latino-americanos). Esses projetos aumentaram o acesso a esse patrimônio documental e contribuíram com a sua preservação.

Desde então, reuniões do IAC acontecem a cada dois anos, e vários comitês regionais e nacionais do Programa Memória do Mundo têm sido estabelecidos ao redor do mundo. Os comitês regionais buscam alcançar os objetivos do Programa, enquanto os comitês nacionais coordenam os planos de ação e os mecanismos do Programa em cada país.

Comitê Nacional da Memória do Mundo no Brasil
Sr. Vitor Manoel Marques da Fonseca
presidente
Email: memoriadomundo.brasil(at)arquivonacional.gov.br

Objetivos do Programa

O Programa Memória do Mundo busca atingir seus objetivos ao incentivar projetos e atividades, não somente de âmbito global, mas também regional, nacional e local. Os comitês regionais e nacionais da Memória do Mundo são partes cruciais na estrutura do Programa pois, quando apropriado, eles são encorajados a implementar suas cinco estratégias fundamentais (identificação de patrimônio documental, conscientização, preservação, acesso, estruturas, status e relações). O sucesso do Programa depende muito da condução, iniciativa e entusiasmo dos comitês regionais e nacionais. 

A visão do Programa Memória do Mundo é a de que o patrimônio documental mundial pertence a todos, e deve ser completamente preservado e protegido por todos, com o devido reconhecimento e respeito por hábitos e práticas culturais, devendo ser permanentemente acessível a todos, sem obstáculos.

A missão do Programa Memória do Mundo consiste em:

  • Facilitar a preservação, por meio das técnicas mais apropriadas, do patrimônio documental mundial. Isso deve ser feito pela assistência prática direta, pela disseminação de aconselhamento e informação, e pelo encorajamento de treinamento, ou por patrocínios e apoios vinculados a projetos adequados.
  • Assistir o acesso universal ao patrimônio documental. Isso inclui o encorajamento do preparo de cópias digitalizadas e catálogos disponíveis na internet, bem como a publicação e a distribuição de livros, CDs, DVDs e outros produtos, da forma mais abrangente e equitativa possível. Nos casos em que o acesso tiver implicações sobre a custódia, esta será respeitada. Também serão reconhecidas as limitações legais (ou de qualquer outra natureza) quanto à acessibilidade de arquivos. Serão respeitadas as peculiaridades culturais, incluindo a custódia de materiais de comunidades indígenas e suas restrições de acesso. Direitos restritos de propriedade serão garantidos por lei.
  • Aumentar a conscientização mundial quanto ao exercício e à significância do patrimônio documental. Os meios incluem, mas não são limitados a, o desenvolvimento dos registros da Memória do Mundo, a mídia e as publicações promocionais e informativas. A preservação e o acesso a esse material não somente complementa um ao outro, como também aumenta a conscientização, uma vez que o acesso demanda o estímulo do trabalho de preservação. Incentiva-se a confecção de cópias acessíveis, para reduzir a pressão sobre o manuseio de materiais preservados.

Registro da Memória do Mundo

O Registro da Memória do Mundo é uma lista do patrimônio documental mundial, que é recomendada pelo Comitê Consultivo Internacional (International Advisory Committee – IAC) e endossada pela diretora-geral da UNESCO. Os critérios de seleção para a inscrição de um acervo documental na lista do Registro da Memória do Mundo estão relacionados à sua importância mundial e ao seu destacado valor universal.

O Registro da Memória do Mundo é o aspecto com maior visibilidade pública do Programa Memória do Mundo. Ele foi fundado em 1995, e tem se ampliado por meio de inscrições aprovadas em sucessivas reuniões do IAC.

Voltar ao topo da página