Aprendizagem móvel

© Nokia

Os aparelhos móveis (telefones celulares, smartphones, tablets etc.) estão transformando o modo pelo qual nós nos comunicamos, vivemos e aprendemos. A aprendizagem móvel oferece formas modernas que ajudam no processo de aprendizagem por meio de aparelhos móveis, como notebooks, tablets, MP3 players, smartphones e telefones celulares. Devemos garantir que essa revolução digital torne-se uma revolução na educação, promovendo uma aprendizagem inclusiva e de melhor qualidade em todos os lugares.

À medida que as tecnologias móveis se deslocam das margens da educação para seu centro, os professores tornam-se peças-chave para o sucesso das TIC no ensino e na aprendizagem. Não sendo uma panaceia, as tecnologias móveis apresentam um caminho claro para melhorar a eficiência educacional. A aprendizagem móvel apresenta atributos exclusivos, se comparada à aprendizagem tecnológica convencional: ela é pessoal, portátil, colaborativa, interativa, contextual e situada; ela enfatiza a "aprendizagem instantânea", já que a instrução pode ocorrer em qualquer lugar e a qualquer momento. Além disso, ela pode servir de apoio às aprendizagens formal e informal, tendo assim um enorme potencial para transformar a forma de se oferecer educação e treinamento.

Os aparelhos móveis são a tecnologia de informação e comunicação mais onipresente e bem-sucedida da história da humanidade. Elas existem em grandes quantidades, em lugares onde livros e escolas são escassos. Em menos de uma década, as tecnologias móveis se espalharam para os lugares mais longínquos do planeta. Da população estimada da Terra, por volta de 7 bilhões de pessoas, 6 bilhões já têm acesso a um telefone móvel em funcionamento. A África, que apresentava um índice de penetração da telefonia móvel de apenas 5%, nos anos 1990, atualmente é o segundo maior e mais crescente mercado dessa tecnologia do mundo, com um índice de penetração de mais de 60%, e ainda aumentando.

Apesar do progresso impressionante, o mundo ainda não está no caminho certo para atingir os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) até sua data-limite, em 2015. Para garantir a educação primária universal, a UNESCO estima que, até 2015, 6,8 milhões de professores devem ser contratados em todo o mundo: são necessários 1,7 milhão para preencher novos postos, e 5,1 milhões para substituir os professores afastados. Essa escassez – tanto atual quanto futura – impede uma ampla gama de esforços de desenvolvimento, ao não permitir que jovens tenham acesso a uma instrução de alta qualidade, necessária para se sobressair nas sociedades do conhecimento. A escassez do número de professores capacitados e motivados é mais grave em partes do mundo nas quais se necessita desesperadamente de mais instrução de melhor qualidade.

Á luz da emergência da crise mundial de professores, a UNESCO quer compreender melhor como as tecnologias móveis podem ajudar a preparar novos professores e proporcionar desenvolvimento profissional para os professores na ativa, além de explorar meios para que elas possam ajudar a atingir a Educação para Todos. Assim, a UNESCO busca ampliar as parcerias e promover atividades e discussões sobre tópicos de ponta, como os Recursos Educacionais Abertos; aplicativos de sala de aula para smartphones e celulares simples; conteúdos para tablets e netbooks; métodos pedagógicos para a aprendizagem móvel; desenvolvimento de aplicativos para a aprendizagem móvel; mídias sociais e muito mais.

A aprendizagem móvel surge como uma das soluções para os desafios enfrentados pela educação. Melhorar o acesso e a qualidade da educação requer liderança política, planejamento e ação. As tecnologias móveis têm a chave para transformar a exclusão digital que existe atualmente em dividendos digitais, trazendo educação igualitária e de qualidade para todos. 

Voltar ao topo da página