Pluralismo e diversidade da mídia

© UNESCO/Oboré

Ao promover uma mídia pluralista e diversa, a UNESCO ajuda a expandir a gama de informação para o público, sobretudo para pessoas desfavorecidas, jovens, mulheres, povos indígenas e populações que vivem em áreas de difícil alcance.

Desenvolver uma mídia comunitária é uma contribuição significativa para o pluralismo midiático. Junto com serviços públicos e as mídias particulares e comerciais, a mídia comunitária é uma condição necessária para que o público possa ter acesso a diferentes fatos, debates e pontos de vista. Portanto, a UNESCO assiste os Estados-membros no desenvolvimento de ambientes de políticas de comunicação propícios à mídia comunitária, além de construir capacitação e estruturas de tecnologia de informação e comunicação neste setor.

Ao contribuir com a diversidade da mídia, a UNESCO aumenta a capacidade das organizações de mídia em relação às políticas e estratégias para promover a igualdade de gênero e o empoderamento de mulheres, tanto nas operações como em conteúdos de mídia..    

The Organization also works to empower citizens with media and information competencies. Training and awareness-raising are undertaken serving end-users of communication in general, and the teaching of competencies in schools in particular.

A Organização também trabalha para empoderar cidadãos com competências de mídia e informação. Treinamentos e conscientização são empreendidos para servir aos usuários de comunicação em geral, e particularmente o ensino de competências nas escolas.

O Dia Mundial do Rádio, celebrado em 13 de fevereiro de cada ano, é bastante observado por sua significância para a mídia pluralista e diversa.

Mídia comunitária no Brasil:

A mídia comunitária é regulada por legislação própria, foco de insatisfação entre as partes interessadas. A real função dessas emissoras de contribuir para o desenvolvimento social de um público local, segundo as pesquisas mais recentes, tem sido direcionada para o atendimento de interesses comerciais, religiosos e político-eleitorais. É crescente o número de rádios comunitárias no país.

Voltar ao topo da página