Diversidade linguística

© UNESCO

A diversidade linguística e o plurilinguismo são essenciais para o desenvolvimento sustentável. A diversidade linguística está cada vez mais ameaçada, na medida em que mais e mais línguas desaparecem. Em média, uma língua desaparece a cada duas semanas, levando com ela todo seu patrimônio cultural e intelectual.

Contudo, progresso tem sido realizado na educação plurilíngue com base na língua materna com o crescimento da compreensão de sua importância, sobretudo nos primeiros anos escolares; e com o maior compromisso quanto ao seu desenvolvimento na vida pública.

As línguas e a educação

A UNESCO promove abordagens educacionais bilíngues ou plurilíngues com base na língua materna – um fator importante para a educação inclusiva e de qualidade. As pesquisas mostram que isso exerce um impacto positive no processo e nos resultados de aprendizagem. A Organização fornece marcos normativos sobre políticas nas áreas de línguas e educação, bem como compartilha boas práticas em educação bilíngue, educação plurilíngue e ensino em língua materna.

As línguas e a comunicação

Cada vez mais, a informação e o conhecimento são determinantes-chave na geração de riquezas, na transformação social e no desenvolvimento humano. As línguas são um dos principais meios para transmitir informação e conhecimento. Assim, a oportunidade de utilizar a própria língua na internet determina a medida pela qual as pessoas são capazes de participar de sociedades do conhecimento emergentes.

As línguas e a cultura

A língua materna constitui uma parte essencial de uma comunidade étnica, pois carrega consigo valores e conhecimento que, frequentemente, são utilizados na prática e na transmissão do patrimônio cultural imaterial. A palavra falada em uma língua materna é importante na promulgação e na transmissão de praticamente todo o patrimônio imaterial, especialmente em tradições e expressões orais, canções e na maioria dos rituais. Ao usar sua língua materna, os detentores de tradições específicas em geral usam conjuntos altamente especializados de termos e expressões, os quais revelam a profundidade intrínseca de originalidade que existe entre a língua materna e o patrimônio cultural imaterial. 

Dia Internacional da Língua Materna

No Dia Internacional da Língua Materna, celebrado todos os anos em 21 de fevereiro, a UNESCO reitera seu compromisso com a diversidade linguística e convida seus Estados-membros a celebrar o Dia no maior número possível de línguas, para lembrar que a diversidade linguística e o plurilinguismo são essenciais para o desenvolvimento sustentável.

A UNESCO tem celebrado o Dia Internacional da Língua Materna por quase 20 anos, com o objetivo de preservar a diversidade linguística e promover a educação com base na língua materna e no plurilinguismo.

Em 2018, a UNESCO comemora o 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos e sua afirmação de que “nenhuma discriminação pode ser feita com base na língua”, assim como celebra sua tradução para mais de 500 línguas.

“Todo ser humano tem capacidade para gozar os direitos e as liberdades estabelecidos nesta Declaração, sem distinção de qualquer espécie, seja de raça, cor, sexo, idioma, religião, opinião política ou de outra natureza, origem nacional ou social, riqueza, nascimento, ou qualquer outra condição”. (Artigo 2, Declaração Universal dos Direitos Humanos, 1948).

A UNESCO também utiliza esse Dia para destacar a diversidade linguística e o plurilinguismo como partes integrais do desenvolvimento sustentável e, em particular, para alcançar as Metas 4.6 e 4.7 do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 4 (ODS 4) em educação.

Os ODS dependem da diversidade linguística e do plurilinguismo como uma contribuição vital da educação para a cidadania global, ao promover as conexões interculturais e as melhores formas de as pessoas viverem juntas.

Voltar ao topo da página