Qualificação e capacitação de professores

Aperfeiçoar a formação profissional dos docentes é uma medida de suma importância em qualquer esforço que visa a melhorar a qualidade da educação. Da mesma forma, a valorização e a qualificação dos docentes é fundamental para a melhoria da qualidade da educação.

Além disso, é essencial o estabelecimento de vínculos entre os resultados das avaliações de aprendizagem e a formação inicial e continuada dos docentes para que o processo de aprendizagem em sala de aula possa ser efetivamente renovado. Igualmente importante é a criação de planos de carreira para os docentes e os demais profissionais da área educacional.

Resultados de estudos mostram que ainda há índices e graves resultados insatisfatórios nos desempenhos dos estudantes

  • de educação básica nas disciplinas de matemática e de língua portuguesa;
  • dos últimos anos da educação secundária (anos finais do ensino fundamental e no ensino médio).  

Para melhorar a qualidade da educação, conforme registra o Relatório da UNESCO da Comissão Internacional sobre a Educação para o século XXI, "Educação: um tesouro a descobrir" (1996): "é preciso, antes de mais nada, melhorar o recrutamento, a formação, o estatuto social e as condições de trabalho dos professores pois estes só poderão responder ao que deles se espera se possuírem os conhecimentos e as competências, as qualidades pessoais, as possibilidades profissionais e a motivação requeridas". 

De acordo com o Marco de Ação para a implementação do compromisso feito em 2015 de “assegurar educação inclusiva e equitativa de qualidade e promover oportunidades de aprendizagem para todos”, os Estados-membros da UNESCO garantirão que "professores e educadores sejam empoderados, recrutados adequadamente, bem treinados, qualificados profissionalmente, motivados e apoiados em sistemas que disponham de bons recursos e sejam eficientes e dirigidos de maneira eficaz".

O mesmo Marco de Ação declara que "os professores também têm direitos políticos e socioeconômicos, inclusive o direito a condições decentes de trabalho e remuneração adequada. Os governos deveriam tornar a docência uma profissão atraente, que seja a primeira escolha dos profissionais, com formação e desenvolvimento contínuos por meio da valorização de seu status profissional, de suas condições de trabalho e apoio. Os governos deveriam, ainda, fortalecer mecanismos de diálogo político com organizações de professores”.

Voltar ao topo da página