Povos indígenas no Brasil

©UNESCO/Nelson Muchagata

Há uma estimativa de 370 milhões de indígenas do mundo, representando cerca de 5% da população mundial. Os povos indígenas representam mais de 5 mil línguas em mais de 70 países em seis continentes. Ou seja, quase 75% de todas as línguas que se acredita existir. Em muitos casos, suas práticas ecologicamente sustentáveis protegem uma parte significativa da diversidade biológica do mundo.

Apesar de duas décadas da ONU sobre Povos Indígenas, esse grupo continuou a enfrentar a grave discriminação em termos de acesso a serviços sociais básicos, educação e saúde. Muitos são marginalizados e vivem em circunstâncias precárias, com frequência, devido ao deslocamento forçado e aos impactos da globalização e das mudanças climáticas.

Algumas áreas de intervenções para os povos indígenas:

  • Desenvolvimento de orientações para os povos indígenas relevante para as suas necessidades e aspirações, incorporando sua cultura, linguagem e estilos de aprendizagem.
  • Apoio na reflexão e nas ações para tornar os currículos e as metodologias de ensino sensíveis aos direitos, perspectivas, experiências e aspirações dos povos indígenas por meio do envolvimento de povos indígenas no trabalho a ser desenvolvido.
  • Promoção de programas educacionais e de treinamento para os povos indígenas em relação ao conhecimento de seus direitos, à negociação técnica e às habilidades de liderança.

No Brasil, estima-se que a população indígena seja de cerca de 897 mil (IBGE, 2010), sendo representada por 305 etnias e 274 línguas. Dos indígenas com 5 anos ou mais de idade, 37,4% falavam uma língua indígena e 76,9% falavam português. 

Neste contexto, a UNESCO no Brasil, desenvolveu a “Série Educação preventiva para DST/HIV/Aids e hepatites virais entre os povos indígenas do Vale do Javari”, uma das regiões de maior concentração indígena no país. O material configura-se como didático-pedagógico multilíngue e intercultural e tem como finalidade subsidiar os professores das etnias Marubo, Matis, Mayoruna (Matsés) e Kanamari em ações de prevenção às doenças nas escolas indígenas e nos contextos comunitários em que estão situadas. O material disponibiliza aos professores conteúdos para trabalharem com as diferentes faixas etárias, gêneros e escolaridade dos alunos.

Voltar ao topo da página