Mudança Climática no Brasil

© UNESCO/Nelson Muchagata

A mudança climática é uma das questões que definem nosso tempo. Mais de 30 programas da UNESCO em ciências, educação, cultura e comunicação contribuem para a criação de conhecimento, educação e comunicação sobre as mudanças climáticas e para a compreensão das implicações éticas para as gerações presentes e futuras.

A mudança climática está tendo um impacto significativo nos padrões climáticos, nas precipitações e no ciclo hidrológico, afetando a disponibilidade de água superficial, assim como a umidade do solo e reposição de água subterrânea. Um recente estudo estima que a mudança climática está acontecendo devido ao crescimento global da escassez de água (20%), e devido ao crescimento populacional e ao desenvolvimento econômico (80%). 

A Iniciativa em Mudança Climática da UNESCO (UNESCO Climate Change Initiative), lançada pela diretora-geral em Copenhague, coordena o trabalho da UNESCO e o une com os outros órgãos das Nações Unidas e visa a auxiliar os Estados-membros a mitigar no contexto da mudança climática, avaliar os riscos de desastres naturais causados pela mudança climática, bem como monitora os efeitos da mudança climática nos sítios reconhecidos pela UNESCO (sítios do Patrimônio Mundial e Reservas da Biosfera). A iniciativa usa esses sítios para promover economias de baixo carbono, por exemplo, por meio do uso sustentável de fontes de energia renovável.

As complexidades envolvidas requerem progresso mais avançado na oferta de educação, conscientização pública e treinamento para sociedades em todo o mundo para melhor compreenderem, mitigarem e se adaptarem à mudança climática. Esse progresso criará cidadãos bem informados, uma força de trabalho com conhecimento e servidores públicos experientes.

A mudança climática está cada vez mais reconhecida como propulsora da mudança da biodiversidade com o aumento mais rápido dos impactos e efeitos cascata relacionados em meios de subsistência humanos. Perda e degradação da biodiversidade, como em florestas, também são um propulsor importante da mudança climática. Por meio de serviços de ecossistemas, a biodiversidade contribui significativamente para mitigação e adaptação à mudança climática, fornecendo a base para os esforços em reduzir os efeitos negativos da mudança climática.

A importância do oceano para a mudança climática não pode ser subestimada. O oceano regula nosso clima e captura quase um terço de nossas emissões de carbono, quer sejam causadas pelos crescentes gases de efeito estufa, pela poluição costeira, pela pesca demasiada, pelo desenvolvimento costeiro ou pela crescente tensão de poluição, o oceano do mundo e os ecossistemas marinhos estão passando por grandes mudanças.

O Brasil tem tentado se alinhar as estruturas setoriais à conjuntura nacional e internacional sobre a questão da mudança climática. Persistem, todavia, problemas de carência de recursos humanos em quantidade e qualidade, deficiências de infraestrutura e logística capazes de atender questões emergentes do conflito entre desenvolvimento econômico e medidas de proteção, conservação e uso sustentável dos ativos ambientais.

Alguns esforços que o Brasil tem feito para enfrentar desafios da mudança climática:

Recursos orçamentários e financeiros em quantidade insuficiente e, frequentemente, não disponíveis quando necessários, aliados à baixa capacidade de execução de fundos de doação e financiamento internacionais, impedem que se estabeleça uma gestão continuada dos programas e projetos essenciais à evolução e ao estabelecimento de uma gestão integrada da política ambiental.

Voltar ao topo da página