Diálogo intercultural

© UNESCO

Embora exista muita informação, tecnologia e conhecimento disponíveis, o que torna o mundo cada vez mais interconectado, isso não significa que indivíduos e sociedades estão vivendo juntos, com paz e justiça para todos. Ainda é necessário um conhecimento adequado para prevenir conflitos, erradicar a pobreza ou possibilitar que todos aprendam para viver em harmonia em um mundo seguro.

A paz é mais do que a ausência de guerra, é viver junto com as nossas diferenças – de sexo, raça, língua, religião ou cultura –, enquanto promovemos o respeito universal pela justiça e pelos direitos humanos dos quais depende tal coexistência. A paz é um processo contínuo de escolha, que requer vigilância constante e participação ativa de todos as pessoas, quando se engajam em um diálogo sincero com outros indivíduos e comunidades.

É fundamental promover e disseminar valores, atitudes e comportamentos que conduzem ao diálogo, à não violência e à aproximação das culturas, em consonância com os princípios da Declaração Universal da Diversidade Cultural, segundo a qual: “Em nossas sociedades cada vez mais diversificadas, é essencial garantir uma interação harmoniosa entre pessoas e grupos com identidades culturais plurais, variadas e dinâmicas, bem como sua disposição de viver juntos. Políticas para a inclusão e participação de todos os cidadãos são garantias de paz, coesão social e vitalidade da sociedade civil”.

Hoje, a paz exige investimentos ativos, liderança esclarecida, valores educacionais poderosos, pesquisa extensiva em inovação social e um ambiente progressista da mídia. Cada um destes constitui um requisito relevante para a missão da UNESCO. A Organização contribui para a paz mundial por meio de seus compromissos com o desenvolvimento da educação e das ciências, do enriquecimento da criatividade cultural, da memória e do futuro cultural, incluindo uma estrutura de mídia global vibrante e orientada para a paz.

 

 

Voltar ao topo da página