Aprender a viver juntos

© UNESCO/Dom Joao

“Não é o suficiente estarmos conectados uns aos outros. Também precisamos compartilhar nossas soluções, nossas experiências e nossos sonhos, em uma grande comunidade sustentada pelos direitos humanos e pelas liberdades fundamentais”. (Irina Bokova, ex-diretora-geral da UNESCO, na Conferência Internacional das Comissões Nacionais da UNESCO, Viena (Áustria), 31 de maio de 2012).

Nas sociedades cada vez mais diversas que existem na atualidade, a UNESCO continua a realizar diariamente sua missão humanista fundamental de apoiar as pessoas a compreender umas às outras e trabalhar juntas para construir a paz duradoura. A UNESCO também ajuda a tornar as pessoas aptas a criar e utilizar o conhecimento para sociedades justas e inclusivas.

Contudo, a paz duradoura reside em uma rede complexa e frágil de práticas diárias incorporadas em contextos locais, bem como nas realizações mais efêmeras e criativas de indivíduos e comunidades, que se inspiram na convicção de que constituem as condições sustentáveis para viver juntos com dignidade e prosperidade compartilhada.

Em uma época de desafios e ameaças mundiais crescentes, como a desigualdade, a exclusão, a violência e o sectarismo, agravados pelas tensões e pelos conflitos locais que minam a coesão da humanidade, aprender a viver juntos, entre todos os membros da comunidade mundial, torna-se um fator mais atual do que nunca.

Os indivíduos se tornam competentes em termos interculturais por meio da aprendizagem e da experiência de vida na complexidade moderna de nosso mundo heterogêneo e, consequentemente, tornam-se preparados para apreciar a diversidade e para administrar conflitos, de acordo com os valores do pluralismo e da compreensão mútua.

Voltar ao topo da página