Arqueologia subaquática

 

A arqueologia estuda as culturas humanas analisando os seus vestígios históricos para explicar a origem e o desenvolvimento das civilizações.

A arqueologia subaquática é uma subdisciplina que estuda os sítios, os objetos, os vestígios humanos e as paisagens submersas. Deve ser situada no contexto mais abrangente da arqueologia marítima, que estuda os relatórios do homem com os oceanos, os lagos e os rios e é completada pela arqueologia náutica, que estuda a construção e a utilização dos navios.

Os sítios arqueológicos subaquáticos constituem uma importante fonte de informações históricas. Devido à falta de oxigénio, eles contêm,  frequentemente, elementos inexistente em sítios comparáveis situados em terra firme.

 

Técnicas

A prospecção, a escavação e a preservação dos sítios são fases importantes no processo de investigação arqueológico subaquático.  

A arqueologia subaquática faz uso de diversas ciências arqueológicas:

  • o estudo da história e os escritos que relatam acontecimentos históricos,
  • a física, as ciências da informação e a química,
  • a antropologia cultural, que estuda as diferentes culturas e a sua variação, examinando o impacto das trocas mútuas,
  • a dendocronologia, que serve para datar as peças de madeira,
  • a arqueobotânica e a arqueozoologia, que têm por objectivo estudar o material vegetal e animal (por exemplo pela identificação de amostras de pólen, sementes ou esqueletos de animais),
  • a radiografia de concreções para determinar o seu conteúdo ou tornar inscrições visíveis,
  • a geologia, que pode informar sobre os movimentos de solos que transformam um sítio, ou sobre as mudanças de nível do mar, a erosão ou o depósito de material sedimentar.

Qualificações

Os sítios arqueológicos são muito frágeis e sensíveis às intrusões. Até mesmo uma intervenção para pesquisa danifica as informações arqueológicas porque o sítio não deixa de ser inviolado. Por isso é importante registar com cuidado essas informações.

A Convenção de 2001 estipula em seu Anexo, que contem as «  Regras relativas às intervenções sobre o patrimônio cultural subaquático » que apenas pessoas qualificadas, e que receberam um treinamento apropriado, devem ser autorizadas a intervir num sítio arqueológico subaquático. 

  • Reforço de capacidades.
  • Centros de arqueologia subaquática apoiados pela UNESCO.

Proteção

Proteção in situ

Proteção de sítios

Ameaças

Voltar ao topo da página