05.06.2012 - UNESCO Office in Brasilia

Mensagem da diretora-geral da UNESCO sobre o Dia Mundial dos Oceanos

Mensagem de Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia Mundial dos Oceanos

 

UNESCO, 8 de junho de 2012

A poucos dias da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, Rio+20, o Dia Mundial dos Oceanos nos dá a oportunidade de recordar uma simples verdade: nosso planeta Terra é predominantemente um planeta azul.

Os oceanos cobrem 70% da superfície do globo. São os pulmões do planeta e fornecem grande – senão a maior – parte do oxigênio que respiramos. Os oceanos são, também, o principal regulador térmico do planeta, absorvendo mais de um quarto do dióxido de carbono liberado pelas atividades humanas.

Ademais, a proteção dos oceanos é prioridade econômica e social. Milhões de empregos na indústria, turismo, transporte e energia dependem do mar. Mais de 40% da população do mundo vive dentro de 100 km da costa. Mais de um bilhão de pessoas obtêm sua maior fonte de proteína animal dos oceanos. A maioria das grandes cidades do mundo, como Rio, Tóquio, Karachi e Manila, está na costa. Essas áreas extremamente dinâmicas estão na linha de frente do aquecimento global, do aumento do nível do mar e dos tsunamis. O crescimento verde e o desenvolvimento sustentável são predisposições para o manejo responsável dos recursos oceânicos e das áreas costeiras.

Devemos primeiro aumentar nosso conhecimento sobre os oceanos para aprimorar sua proteção. Temos surpreendentemente pouco conhecimento sobre a importância dos oceanos para o nosso futuro. Pouco mais de 1% dos oceanos do planeta está protegido no presente momento. Não é o bastante. O lixo plástico depositado no mar acumula-se em “placas” que cobrem muitos milhões de quilômetros quadrados, presas por correntezas, com efeitos desastrosos sobre a flora e a fauna.

A proteção dos oceanos requer maior cooperação legal, científica e política entre as nações. A UNESCO deseja impulsionar a cooperação científica nesse campo por meio dos esforços da Comissão Oceanográfica Intergovernamental (IOC). A UNESCO irá assegurar que o papel dos oceanos seja claramente reconhecido na Rio+20, tendo em vista seus múltiplos efeitos sobre justiça social, preservação do meio ambiente e eficiência econômica.

A Conferência Rio+20 é um grande ponto de inflexão na definição do “futuro que queremos”, e os oceanos devem fazer parte do projeto de um novo modelo de desenvolvimento. Hoje, Dia Mundial dos Oceanos, convoco todos os legisladores, industrialistas e atores da sociedade civil a se mobilizarem para alcançar esse objetivo. Nosso futuro comum depende disso.





<- Back to:
Voltar ao topo da página