Noticia

Nota de Pesar

Candido Mendes de Almeida

A Representação da UNESCO no Brasil lamenta profundamente o falecimento do acadêmico Candido Mendes de Almeida, um dos grandes pensadores e um dos principais educadores da história do Brasil.
 
Figura pioneira e dono de um espírito público único, Candido Mendes ocupava a cadeira número 35 da Academia Brasileira de Letras. Foi um intelectual de referência, na democratização do acesso à educação no país e no desenvolvimento do ensino de excelência, considerando sempre a busca por um Brasil melhor e mais justo como o objetivo final de seu conhecimento. Foi um paladino da liberdade, defendendo presos e intelectuais perseguidos politicamente.
 
Bacharel em Direito e Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) e doutor em Direito pela Faculdade Nacional de Direito, na Universidade do Brasil, ele era o reitor da Universidade Candido Mendes, instituição fundada pela família em 1902. Lecionou como professor visitante em algumas das principais universidades americanas, como Harvard, Columbia, Stanford, Princeton e Nova Iorque. Fundou o Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj), entidade responsável por relevantes investigações no campo das ciências humanas e sociais.
 
Candido Mendes deixa obras que marcarão para sempre a transformação do Brasil moderno por meio da educação, entre elas: “Nacionalismo e Desenvolvimento” (1963), “O País da Paciência” (2000), “Subcultura e mudança: por que me envergonho do meu país" (2010), “A razão armada” (2012). 
 
Candido Mendes foi presidente do Comitê de Programas do International Social Science Council (ISSC), 1974 – órgão representativo das organizações não governamentais de Ciências Sociais reconhecidas pela UNESCO. Sua proximidade com a Organização deixa um legado inestimável para a trajetória da UNESCO no Brasil e sua missão de promover uma educação de qualidade, que favoreça a construção de um futuro mais justo e igual para todos.

A Representação da  UNESCO no Brasil perde uma referência e um grande amigo e se solidariza com a esposa, Dra. Margarete Dalcomo, seus filhos e netos e todos aqueles da grande família que ele construiu na Universidade Candido Mendes.