Sobre

Melhorar o estatuto da liberdade de imprensa é crucial para o mandato da UNESCO de promoção do livre fluxo de ideias, por palavras e imagens, enquanto veículo para o avanço da paz e do diálogo. A Organização reconhece que a liberdade de expressão é um direito humano fundamental em si mesmo e um facilitador de outros direitos.

alone journalist in war zone

Desenvolvimento da Comunicação Social. O Relatório de Tendências Mundiais responde a uma das principais tarefas atribuídas à UNESCO pelos Estados-Membros em 2011, na 36.ª sessão da Conferência Geral, em que se fez um apelo à Organização, para que «acompanhe, em estreita cooperação com outros órgãos das Nações Unidas e outras organizações relevantes que atuam neste campo, a situação da liberdade de imprensa e segurança dos jornalistas... e informe a Conferência Geral sobre os desenvolvimentos nestes campos». 

A série «Relatório de Tendências Mundiais» também engloba resumos temáticos regulares, que analisam questões emergentes na liberdade de expressão e no desenvolvimento da comunicação social. Os «Em Foco» e os relatórios regionais também nos ajudaram a compreender tendências específicas. As conclusões destes relatórios especializados são incluídas e desenvolvidas nos Relatórios Globais. 

As publicações da série «Relatório de Tendências Mundiais» são apresentadas nas Conferências Gerais da UNESCO e em outros eventos importantes. A série conta com a experiência de muitos especialistas mundiais e a sua realização tem sido possível com o apoio de várias parcerias integrais. 

Perguntas mais frequentes

A versão global do Relatório é publicada a cada quatro anos. Os Resumos Temáticos e outras publicações da série são publicados em resposta à evolução das questões no campo da liberdade de expressão e do desenvolvimento da comunicação social entre as edições globais.

O Relatório é financiado pela Suécia e pelo Programa de múltiplos doadores sobre a Liberdade de Expressão e Segurança dos Jornalistas.

A coordenação editorial é assegurada pela UNESCO. O Relatório conta com uma Equipa Editorial formada por investigadores principais e investigadores regionais e temáticos.

Um grupo consultivo de especialistas em todo o mundo, reconhecidos pela sua experiência nas dimensões temáticas do relatório, também contribui para a investigação, redação e apoio à revisão pelos pares.

O Relatório pretende ser um recurso valioso para orientar o trabalho dos decisores políticos, um instrumento forte de defesa para ser usado pela comunicação social e pelas organizações da sociedade civil e uma fonte importante de informação e conhecimento sobre liberdade de expressão e desenvolvimento da comunicação social. 

A UNESCO organiza lançamentos globais e nacionais, a fim de reunir decisores políticos, a academia, a sociedade civil, o setor privado, o governo e organizações internacionais para discutir as conclusões do Relatório. Os eventos são planeados em estreita coordenação com os Gabinetes Locais da UNESCO e com as Comissões Nacionais, bem como com os investigadores e revisores do Relatório.

A publicação é também distribuída aos Estados-Membros, aos parceiros, aos meios de comunicação social e redes de investigação sobre liberdade de imprensa.