02.12.2016 - UNESCO Office in Brasilia

Brasil participa de projeto da UNESCO sobre jogos tradicionais

Em uma iniciativa inédita, o escritório da UNESCO na China e a maior empresa chinesa de tecnologia com atuação global, a Tencent, desenvolvem a Biblioteca Digital Aberta (Open Digital Library – ODL). O projeto tem por objetivo usar as tecnologias de comunicação e informação para preservar e disseminar informações sobre jogos e esportes tradicionais e únicos e assim salvaguardar o conhecimento como patrimônio das diferentes culturas do mundo. Alguns desses jogos tradicionais ganharão versões modernas no formato de jogos eletrônicos.

Para discutir e compartilhar boas práticas na promoção, salvaguarda e preservação de jogos tradicionais usando as novas tecnologias, acontece dias 06 e 07/12/2016, em Beijing, China, a Conferência Anual e Reunião de Especialistas. A Reunião também revisará documentos necessários à construção da Biblioteca e ao desenho de seu conteúdo, buscando opiniões e recomendações de especialistas de todo o mundo. O escritório da UNESCO no Brasil participa da conferência, com o oficial de programa Fábio Eon, assim como a especialista e professora brasileira Ana Zimmermann, da USP.

Em 2015 e 2016, o projeto da Biblioteca Digital Aberta vem sendo desenvolvido de forma piloto, por meio de coleta de dados preliminar de alguns dos muitos jogos de quatro países de diferentes regiões do mundo e distintas culturas, com o objetivo de testar e aperfeiçoar a plataforma: Bangladesh (Sul da Ásia), Mongólia (Leste da Ásia), Brasil (América Latina) e Grécia (Europa Ocidental). Entre os jogos brasileiros que tiveram informações e imagens coletadas este ano estão jogos tradicionais indígenas, capoeira, jongo e peteca. Quando a plataforma estiver aberta, as comunidades desses países terão a oportunidade de incluir outros jogos. 

Integrantes do escritório da UNESCO na China, comandados pela Representante Marielza Oliveira, que coordena o projeto com o apoio da oficial de programa Qingyi Zeng, e da empresa Tencent estiveram no Brasil entre 17 e 24/08/2016, aproveitando o ambiente dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, para coletar informações e material audiovisual de jogos tradicionais ou únicos representativos da cultura brasileira que comporão a iniciativa. Na ocasião foi produzido um vídeo com os parceiros do projeto sobre a iniciativa.

Marielza explicou que “estamos criando a biblioteca digital como um repositório onde as comunidades poderão inserir a descrição de seus jogos, as regras para se jogar, os objetos necessários para o jogo e outras informações relevantes, para que as novas gerações possam aproveitar, aprender e praticar as antigas tradições”. Ela acrescentou que a Biblioteca também tem objetivos educacionais, uma vez que seu conteúdo serve como uma base de conhecimentos sobre culturas, línguas, geografia, história e matérias afins. Futuramente serão incorporadas sugestões de utilização da plataforma para pesquisadores, professores e alunos.

O Representante da UNESCO no Brasil, Lucien Muñoz, comentou que quando ouviu sobre o projeto da Biblioteca Digital Aberta pela primeira vez “entendi imediatamente que esta poderia ser uma grande ferramenta global para contribuir com a memória dos jogos tradicionais, que tendem a desaparecer, e para colocá-los em uma linguagem atual. Este projeto é uma grande contribuição para traduzir o passado para as futuras gerações. É uma honra para o escritório da UNESCO no Brasil ter a oportunidade de participar deste projeto piloto e estou ansioso por ver jogos brasileiros representados em jogos eletrônicos! Parabenizo o escritório na China e seu parceiro Tencent pela iniciativa”.

Jogos e esportes tradicionais são ferramentas poderosas para a disseminação de valores pregados pela UNESCO, como o entendimento mútuo e a tolerância entre comunidades e nações.  Eles também promovem a solidariedade, o “jogo limpo” e a inclusão, e refletem a diversidade cultural de um povo. Além disso, contribuem para o desenvolvimento de competências como o pensamento lógico, a matemática e a educação cívica.

 

  • Veja o vídeo sobre a Biblioteca Digital Aberta, produzido pelo escritório da UNESCO no Brasil.
  • Saiba mais sobre o projeto (em inglês)

 

Mais informações:

 

  • UNESCO no Brasil

Ana Lúcia Guimarães, a.guimaraes(at)unesco.org, (61)2106-3536 ou (61)9 9966-3287

Fabiana Pullen, f.sousa(at)unesco.org, (61)2106-3596

 

  • UNESCO na China

 

Beijing(at)UNESCO.org




<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página