16.03.2017 - UNESCO Office in Brasilia

Mensagem da UNESCO por ocasião do Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial

Mensagem da diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, por ocasião do Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial

A discriminação racial é um veneno que enfraquece os indivíduos e as sociedades, perpetua a desigualdade e alimenta a raiva, a amargura e a violência. A luta contra o racismo e todas as formas de discriminação é um pilar da paz e da coesão social, especialmente nas nossas sociedades cada vez mais diversas. Por ocasião do Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial, a UNESCO convida todos os Estados-membros e parceiros a intensificarem seus esforços para construir um mundo mais inclusivo, generoso e justo.

Um dos baluartes mais fortes contra a discriminação racial é formado pela educação, pela consciência acerca da debilidade das pseudoteorias raciais e pelo conhecimento dos crimes cometidos em nome desses preconceitos ao longo da história. Nesse espírito, a UNESCO trabalha com professores, museus e editoras para buscar combater estereótipos que estigmatizam indivíduos e povos por causa da sua cor de pele, origem ou filiação.

Para isso não basta reconhecer os efeitos nocivos do racismo. Nós também precisamos das ferramentas e instintos para combatê-lo e condená-lo onde quer que ele ocorra, sob qualquer forma, desde a mais mesquinha e cotidiana humilhação até a violência agravada. Essa luta começa na mente de cada um de nós e deve ser transmitida de todas as formas possíveis. Por exemplo, a UNESCO e o Museu do Homem estão organizando uma exposição em Paris a partir de março com o tema “nós e todos os outros – do preconceito ao racismo”. Junto com os prefeitos e outros grupos urbanos da Coalizão Internacional de Cidades Inclusivas e Sustentáveis (ICCAR), a UNESCO está comprometida em desenvolver políticas em favor da inclusão urbana, da não discriminação e da diversidade.

Em parceria com a Fundação Marianna V. Vardinoyannis e a Coalizão Europeia de Cidades contra o Racismo, a UNESCO lançou a iniciativa “Welcoming cities for refugees” (“Cidades que acolhem refugiados”, em tradução livre) com o objetivo de apoiar autoridades locais nas suas políticas de acolhimento. O esporte também é uma poderosa alavanca para a inclusão e é por isso que a UNESCO está desenvolvendo uma campanha com a Juventus Futebol Clube, a Rádio PRISA e a Fundação Santillana para combater o racismo no futebol, por meio das campanhas “#what colour?” (#quecor, em tradução livre) “Sin respeto no hay juego” (Sem respeito não tem jogo, em tradução livre) e “#Together4InclusiveSport” (#JuntospeloEsporteInclusivo, em tradução livre), com o Centro de Tolerância em Moscou.

Em tempos de crise econômica e incerteza social, “o outro” é sempre um bode expiatório conveniente e a discriminação racial uma tentação perigosa que fabricantes de ódio sabem muito bem como explorar. Diante do aumento dos atos e da crescente aceitação de discursos que encorajam o racismo e o ódio, a UNESCO apela aos cidadãos para que reajam e transmitam os valores da solidariedade, da empatia e do altruísmo. Em um mundo de diversidade, compreender e respeitar os outros é o único caminho possível. Construir muros para manter os outros do lado de fora muitas vezes significa nos manter aprisionados. Nossa diversidade é uma força: precisamos aprender como utilizar os recursos da inventividade, da criatividade e da paz. Quanto mais nós respeitamos os outros, mais respeitamos a nós mesmos.




<- Back to: Visão Exclusiva do Conteúdo Dinâmico
Voltar ao topo da página