Recursos Hídricos no Brasil

© UNESCO/Nelson Muchagata
Estudante aprendendo o uso efetivo da água doce no Brasil

Os desafios no Brasil relativos à gestão de recursos hídricos não podem ser tratados isoladamente, devido às relações de causa e efeito existentes, como por exemplo: aumento da oferta e do acesso à água versus investimentos insuficientes em saneamento básico.

As autoridades brasileiras têm a expectativa que a UNESCO ofereça assistência e apoio técnico na implementação das recomendações aprovadas
em fóruns nos quais a UNESCO lidera a mobilização de países. Em particular, o Programa Mundial de Avaliação da Água (World Water Assessment Programme - WWAP) e o Programa Regional de Ecohidrologia.

Desde 1975, promove estudos no âmbito do Programa Internacional Hidrológico (International Hydrological Programme - IHP) e conta com um significativo acervo técnico-científico na área de gestão de águas.

É importante ressaltar que a água representa prioridade para a UNESCO, e que todo apoio será dado a iniciativas relacionadas a esse tema, como o Escritório já vem fazendo há diversos anos, ao cooperar com as autoridades brasileiras da área. Todo o apoio é prestado a projetos.

Sustentabilidade da água doce

© UNESCO/James Watt - Seapics

De acordo com as discussões ocorridas durante a Conferência Rio+20, o acesso à água potável de qualidade para todos deve ser garantido e esses recursos devem ser gerenciados de maneira inteligente para o desenvolvimento sustentável.

Expandir os serviços de água potável de qualidade e de saneamento diminuiria drasticamente a perda de vidas por doenças relacionadas com a água e aliviaria a escassez de recursos nos países em desenvolvimento. Elevar o suprimento de água e de saneamento também pode aumentar o nível da educação, permitindo que mais crianças e adultos compareçam à escola ao invés de passarem horas a cada dia coletando água.  Isso também economizaria milhões de dias de trabalho, pois a perda econômica geral devida à falta de acesso à água potável de qualidade e ao saneamento básico.

Para tratar essa questão, será necessário fortalecer a educação, o treinamento, a capacitação e os esforços de conscientização a respeito da gestão sustentável de recursos de água doce. Exigirá também a ampliação da base de conhecimentos necessários para processos bem-informados de tomada de decisões quanto ao gerenciamento e ao consumo de recursos hídricos, bem como o desenvolvimento de políticas de sustentabilidade, que tratam dos riscos globais de maneira integrada e coordenada, incluindo aqueles relacionados à água.

 

 

 

 

Voltar ao topo da página